O lucro líquido do Grupo Enel ficou em € 1,93 bilhão no primeiro trimestre do ano. O valor é 86,8% acima dos € 1,03 bilhão do mesmo período do ano anterior. O Ebitda da companhia italiana teve um aumento de 23,7%, indo a € 5,89 bilhões. Já as receitas registraram um recuo de 26,4%, ficando em € 19,4 bilhões.

De acordo com o CFO da Enel, Stefano de Angelis, os resultados confirmam a eficácia das ações assumidas com o Plano Estratégico 2024-2026, além da resiliência do modelo de negócio em todos os países em que a elétrica opera.

A queda na receita veio por conta da menor receita da Geração Térmica por conta da queda progressiva dos preços na comparação entre o primeiro trimestre desse ano e o do ano passado. Os efeitos dessa queda foram parcialmente mitigados pelo bom desempenho na venda de energia no Brasil, Colômbia e Peru .

As vendas de energia no primeiro trimestre de 2024 recuaram 6,8%, com 72,9 TWh, uma diminuição de 5,3 TWh. O número reflete um aumento nas quantidades vendidas no Brasil (+0,8 TWh), Chile (+0,2 TWh), Peru (+0,2 TWh) e Colômbia (+0,2 TWh) e menores volumes vendidos na Itália (-3,6 TWh), Argentina (-0,3 TWh) , Espanha (-0,5 TWh) e Romênia (-2,3 TWh).