Olá, esse é um conteúdo exclusivo destinado aos nossos assinantes
Para continuar tendo acesso a todos os nossos conteúdos, escolha um dos nossos planos e assine!
Redação
de R$ 47,60
R$
21
,90
Mensais
Notícias abertas CanalEnergia
Newsletter Volts
Notícias fechadas CanalEnergia
Podcast CanalEnergia
Reportagens especiais
Artigos de especialistas
+ Acesso a 5 conteúdos exclusivos do plano PROFISSIONAL por mês
Profissional
R$
82
,70
Mensais
Acesso ILIMITADO a todo conteúdo do CANALENERGIA
Jornalismo, serviço e monitoramento de informações para profissionais exigentes!

A mais recente solução da Aquarela Analytics inclui um robô com Inteligência Artificial para o mercado livre, fornecendo posições de compra, venda, espera, além da previsão do preço de energia. Há seis meses sendo negociada e comercializada para eletrointensivos como a Dow Chemical, CSN, CBA, Grupo Randon e Coca-Cola, o desenvolvimento da ferramenta é fruto de um P&D que começou em 2019, data que coincide com a entrada da companhia no setor elétrico.

Na época a startup catarinense foi chamada para uma prova de conceito envolvendo novas tecnologias na mesa de trading da Votorantim Energia. O desafio era atingir uma meta de aproximadamente R$ 2 milhões, o que foi batido em poucas semanas pelo Tactics Energy. O bom resultado fez a Auren Energia aplicar R$ 10 milhões para aquisição de 28,3% do capital total da empresa.

“Pegamos essa expertise de I.A, Big Data e dois anos e meio de P&D para apoiar as empresas a fazer bons negócios, ajudando a Auren a se tornar uma das maiores comercializadoras do país”, conta o CEO da Aquarela Analytics, Marcos Santos, em entrevista à Agência CanalEnergia. Segundo ele, o conhecimento materializado na metodologia gerou um ganho de 68% para a joint-venture entre a Votorantim e o CPP Investments.

Solução utiliza Inteligência Artificial para criar cenários e gerir a composição de portfólio e balanço energético (Aquarela)

Trabalhando há 20 anos com IA, o executivo destaca que a solução permite a antecipação do preço no ACL com várias semanas de antecedência em uma precisão bastante interessante, ajudando a criar cenários e a gerir a composição de portfólio e balanço energético numa interface classificada por ele como intuitiva. Além disso, também é possível fazer gestão de contratos e Forecasting de todos os tipos de fontes renováveis.

A Aquarela começou sua jornada no segmento aeroespacial há 12 anos com aplicação de sistemas de manutenção para aeronaves, atuando mais recentemente também com o setor logístico e outros como o automotivo. No elétrico, o foco de expansão para o futuro é o desenvolvimento de um aplicativo inteligente que controle praticamente todas as funções de uma residência. Desde sua fundação, aplicou mais de R$ 11 milhões em P&D, sendo cerca de R$ 3,7 milhões na vertical de energia.

Filial na Finlândia

Atualmente a companhia possui um escritório matriz em Florianópolis e outro em São Paulo. Com aproximadamente 70 colaboradores, entre consultores e outras áreas por 15 estados brasileiros e mais quatro países, o plano de crescimento prevê em breve a abertura de uma nova unidade em Helsinki, na Finlândia, específica para negócios envolvendo o setor de energia. “Estamos trabalhando com fundos europeus para desenvolver tecnologia lá e colocar dentro do Brasil”, pontua Santos.

O CEO coloca o país nórdico como um dos mais desenvolvidos em termos de tecnologia, principalmente ligada ao segmento elétrico, estando dez ou 15 anos à frente do Brasil em termos de utilização, regulação, cultura, consumo da energia e as questões que perpassam as fontes limpas. “Enquanto aqui falamos de protótipos eles já têm usinas em operação em grandes instalações representando bilhões de euros investidos”, salienta, citando ainda a construção de um pipeline de hidrogênio que vai conectar o país com a Suécia e Noruega.

CEO da Aquarela e executivos da Auren e Way2 integraram comitiva para conhecer tecnologias da Finlândia no setor elétrico (Acervo Pessoal)

A Agência CanalEnergia falou com Marcos Santos por meio de videoconferência. O executivo se encontrava justamente na Finlândia para avançar com a concepção da nova filial europeia. Convidou também para o passeio dirigentes das parceiras Auren e a também catarinense Way2, para um road-show no país. Segundo ele, um dos principais gargalos atualmente por aqui são centros de excelência para avanços nos sistemas de smart grids e controle de falhas.

“Enquanto a rede brasileira é 99% no quesito resiliência por lá esse número é de 99,99998”, aponta o executivo. Outra realidade é um aplicativo onde se pode comprar energia renovável, solar, eólica ou nuclear, dando há cada 15 minutos o preço e tomando decisões como se é pertinente carregar o carro ligar a máquina de lavar em determinados horários. Algo que ele vê ainda distante do Brasil.

Monitoramento de ativos

Entre uma nova tecnologia que poderá ser embutida no Tactics Energy é o uso de sistemas inteligentes com IA, congregando baterias e outros sistemas de inércia para poder compensar a intermitência de fontes renováveis, principalmente da solar. Santos também informa que a Aquarela está terminando um P&D com a SPIC e em breve deve entrar também no segmento de monitoramento, principalmente para usinas eólicas, algo para deslanchar em 2025. “Por enquanto o foco é nessas previsões, análises do mercado, gestão de risco e mercado livre”, conclui.