EDP: consumo em distribuidoras cresceu 0,6% no primeiro trimestre

Consumo da indústria caiu 4,8% no mesmo período por conta de menor número de dias úteis e desaceleração econômica

A EDP reportou um aumento de 0,6% na demanda por energia no primeiro trimestre de 2015 com 6,764 milhões de MWh. Ao mesmo tempo houve um crescimento de 3,4% no número de clientes nos três primeiros meses do ano. No segmento de geração o volume de energia vendida aumentou 1,9%, para 2.260 GWh, em comparação com o mesmo período do ano passado. Considerando a energia gerada por disponibilidade da UTE Pecém I (CE, 720 MW) e a de UHE Santo Antonio do Jari (AP, 373,4 MW) o aumento foi de 9,6% com 3.158 GWh.

No segmento de distribuição, a empresa viu maior performance na EDP Escelsa (ES) que apresentou um crescimento de 6,6% na energia distribuída com 2,989 milhões MWh. A EDP Bandeirante (SP) teve queda de 3,8% decorrente da desaceleração da indústria no estado de São Paulo com 3,775 milhões MWh.
Quanto ao mercado cativo a EDP reportou aumento de 1,7% como reflexo do desempenho de consumo nas classes residencial, comercial e rural, principalmente na concessionária capixaba. Já na Bandeirante o arrefecimento das temperaturas em 2015 ante 2014 afetou negativamente a demanda. Já o segmento industrial apresentou queda de 4,8%, sendo que a demanda nas duas distribuidoras da EDP recuaram, 4,6% em São Paulo, e 5,2% no Espírito Santo. Houve retração no consumo de clientes livres na Bandeirante (7,1%) e aumento de 4,6% para a Escelsa.
O maior volume de energia gerada pela empresa no ano ficou justamente no primeiro trimestre do ano com 29% do total. No segundo trimestre esse volume é de 25% e de 23% no segundo semestre. O GSF médio nos primeiros três meses do ano ficou em 79,3% o que corresponde a uma exposição de 464 GWh. Contudo, a EDP ressaltou que a exposição foi parcialmente mitigada pela manutenção de hedge de lastro e de compras realizadas.