Equatorial vê dificuldade em participar do leilão da Amazonas Energia

Em 30 de outubro, o presidente do grupo Energisa, Ricardo Botelho, também disse que não teria interesse de participar do certame

O diretor Financeiro e de Relações com Investidores da Equatorial Energia, Eduardo Haiama, disse nesta sexta-feira, 9 de novembro, que nas condições atuais eles teriam dificuldade de participar do leilão da Amazonas Energia, programado para o próximo dia 27.

Em outubro, a Equatorial assumiu o controle acionário da Cepisa e aportou R$ 721 milhões na distribuidora do Piauí que antes era operada pela Eletrobras. Porém, para participar do leilão da Amazonas, Haiama disse que existem várias contas complexas que precisam ser entendidas para equacionar os riscos.

“Nas condições atuais, temos dificuldade para participar. Do nosso lado a gente tem que tomar muito cuidado, têm várias contas que são complexas”, disse o executivo, que participou de teleconferência com analistas de mercado para falar dos resultados financeiros do terceiro trimestre da Equatorial.

Em 30 de outubro, o presidente do grupo Energisa, Ricardo Botelho, também disse que não teria interesse em participar do certame, alegando que a empresa está focado em cuidar dos ativos da Ceron e da Eletroacre, adquiridos da Eletrobras no leilão de 30 de agosto.

O Governo Federal tenta encontrar uma solução para as dívidas da Amazonas Distribuidora. São cerca de R$ 19 bilhões em dívidas que precisam ser equacionadas antes da privatização da empresa.