Consumo de energia aumenta 1,6% em outubro, aponta EPE

Índice de crescimento do mercado livre no mês foi de 2,4% ante 1,2% no ambiente regulado

O consumo de energia no Brasil aumentou 1,6% no mês de outubro na comparação com o mesmo período de 2018. Segundo a Resenha Mensal da Empresa de Pesquisa Energética, a demanda foi de 40.959 GWh. No ano, o índice é pouco menor com expansão de 1,1%, mesmo indicador quando a base de comparação é ante os 12 meses encerrados em outubro de 2019. O mercado regulado cresceu 1,2% na comparação com outubro de 2018 e em 12 meses esse indicador é de 0,6%. Já no mercado livre os índices são mais elevados, sendo 2,4% em outubro e de 2,1% no acumulado de 12 meses.
O destaque dado pela EPE é o consumo na classe residencial que foi de 11.924 GWh no mês, crescendo 3,4% em relação ao mesmo período de 2018. Entre as regiões, as maiores taxas foram registradas no Centro-Oeste (8%) e no Sul (5,9%), onde as condições climáticas tiveram contribuição importante para o aumento do consumo no mês. De acordo com a empresa, o clima mais seco no mês e com temperaturas mais altas no Centro-Oeste ajudaram a elevar o consumo residencial de eletricidade em quase todos os estados da região, tendo sido observadas taxas de expansão de 12,7% no Mato Grosso do Sul e de 11,1% em Goiás. No Sul, a temperatura foi um fator relevante nos resultados do consumo no Paraná (7,1%) e Rio Grande do Sul (6%), que ficaram acima da média de crescimento realizado no ano, respectivamente, 3,3% e 1,3%. No Sudeste (2,9%), onde as temperaturas também foram mais altas que no ano passado, o consumo em São Paulo, principal mercado na região, teve aumento de 7,7%. No Nordeste (3,5%), levando em conta o ajuste no ciclo de faturamento, de modo a igualá-lo ao do ano anterior, o resultado no mês, cerca de 2%, ficaria inferior à média de 3,7% observada  no ano. No norte por sua vez houve queda de 4% na demanda residencial sendo liderada pelo Amazonas (17,6%).

O consumo de energia elétrica em Comércio e Serviços totalizou 7.756 GWh em outubro de 2019, representando um crescimento de 4,4% em relação ao mesmo mês de 2018. Segundo dados da EPE, entre os indicadores econômicos relevantes para explicar as variações do consumo da classe comercial, a Pesquisa Mensal do Comércio (PMC/IBGE) em setembro apresentou uma taxa positiva de 2,1% no comércio varejista. Nos serviços, a PMS/IBGE seguiu na mesma direção com variação de 1,4%. A maior alta no consumo de eletricidade foi registrada na região Nordeste (5,5%). A região Sudeste registrou a segunda maior expansão no consumo de eletricidade no período, 4,9%. O desempenho da região foi puxado por São Paulo (+9,2%). O crescimento do consumo de energia elétrica no Sul foi de 4,1%, puxado pelos estados do Paraná (8,7%) e Santa Catarina (4,2%).No Centro-Oeste, foi observada alta de 3,4% no consumo de energia elétrica com destaque para o Mato Grosso do Sul (8,1%). Assim como a residencial, o Norte foi o único com queda, 1% sendo que no Amazonas a retração foi de 8,4%.

O consumo de energia elétrica das Indústrias do país foi de 14.306 GWh em outubro de 2019, representando um decréscimo de 2% na comparação com o mesmo mês de 2018. Cabe ressaltar que outubro deste ano teve um dia útil a mais que o mesmo período do ano passado. Como resultado, a série de taxas do acumulado de 12 meses da demanda industrial de eletricidade manteve a sua trajetória descendente, atingindo 1,6% no mês.