Pandemia afeta demanda em até 9%, aponta ONS

Índice foi alcançado no domingo quando a demanda ficou 5,5 mil MW médios menor do que no mesmo dia da semana passada

A disseminação do novo coronavírus no Brasil começa a mostrar seus efeitos no setor elétrico. De acordo com o Operador Nacional do Sistema Elétrico, em decorrência da redução da atividade econômica e da mudança na rotina de trabalho no país foi registrada uma queda da carga média no país que chegou a até 8,9% na comparação com o mesmo dia da semana anterior.

A medição começou a ser feita na última quinta-feira, 19 de março, e os dados dessa redução mais acentuada referem-se até o ultimo domingo, 22 de março. Em termos de carga nesta segunda-feira, segundo o site do órgão, apresentou pico de pouco mais de 67,6 mil MW às 14h e 58 minutos. No mesmo dia da semana anterior a demanda máxima apontou 82.771 MW às 14 horas. Veja o balaço abaixo:

– 19/03 – redução de 2,3% ou 1.717 MW med a menos do que no dia 12/03
– 20/03 – redução de 6,0% ou 4.450 MW med a menos do que no dia 13/03
– 21/03 – redução de 8,6% ou 5.869 MW med a menos do que no dia 14/03
– 22/03 – redução de 8,9% ou 5.509 MW med a menos do que no dia 15/03
Com isso, o ONS apontou ainda a queda propiciou também a redução na geração das hidrelétricas do Sudeste/Centro-Oeste e do Sul. Em nota afirmou que “esse fato contribuiu para a recuperação do nível de armazenamento dos reservatórios do Sudeste/Centro-Oeste e para a manutenção dos níveis dos reservatórios do Sul.”

Os níveis de armazenamento no domingo, 22 de março, estavam em 48,7% no Sudeste/Centro-Oeste, 18% no Sul, 73,8% no Nordeste e 69,9% no Norte.