Tarifas da Celesc terão aumento de 8,14%

Reajuste seria de 15,52% sem o uso da Conta Covid para postergar o pagamento de custos que entrariam na tarifa em 2020

A Celesc Distribuição terá aumento médio de tarifas de 8,14% a partir de 22 de agosto, com efeito médio de 7,67% para os consumidores em alta tensão e de 8,42% para os de baixa tensão. O reajuste seria de 15,52% sem o uso de recursos do empréstimo da Conta Covid, que amorteceu a tarifa em 7,38%, segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica.

A compra de energia é o item de custo com maior participação no reajuste da concessionária, com 5,89%. Contribuíram para o resultado o aumento dos contratos de energia de hidrelétricas em regime de cotas (5,05%), os contratos de comercialização de energia (10%) e a variação da energia de Itaipu, que aumentou 42,5% em razão da variação cambial.

Em segundo lugar, vem os custos de transporte de energia, com 3,38%, em razão do aumento da Receita Anual Permitida das transmissoras. Os encargos setoriais tem participação de 2,11% e o custo de distribuição de 0,54%. Foram retirados da tarifa 3,19% em efeitos financeiros do último ciclo tarifário e 0,64% em financeiros que entrariam na tarifa dos próximos 12 meses.

A distribuidora fornece energia para cerca de 3 milhões de unidades consumidoras em 264 municípios de Santa Catarina.