Térmica de 56 MW é aprovada junto ao Reidi em Roraima

Usinas da Brasil Bio Fuels tem investimento planificado em R$ 576,4 milhões. Projeto da Chesf também é enquadrado no Ceará

O Ministério de Minas e Energia enquadrou na última segunda-feira, 21 de setembro, a obra construção da térmica Híbrido Forte de São Joaquim junto ao Regime Especial de Incentivos ao Desenvolvimento da Infraestrutura (Reidi). O projeto prevê seis unidades geradoras de aproximadamente 9,3 MW, totalizando 56,2 MW de potência instalada na capital Boa Vista (RR).

Com a aprovação, a Brasil Bio Fuels, titular da usina, obtém uma economia de aproximadamente R$ 49,7 milhões com os encargos PIS/PASEP e Confins, ficando o aporte total planificado em R$ 488 milhões para as obras iniciadas em junho deste ano e que devem ser concluídas no mesmo período de 2021, conforme o cronograma do projeto.

A companhia também recebeu a classificação do Reidi para a UTE BBF Baliza, com duas unidades geradoras somando 17,6 MW no município de São João da Baliza (RR), e representando R$ 88,4 milhões em recursos e R$ 9 milhões em isenções com as taxas.

Nos mesmos moldes, outra decisão do MME no dia foi para o projeto de reforços em instalações de transmissão da Chesf, compreendendo a instalação do circuito da linha de transmissão 500 kV US. Luiz Gonzaga/Milagres II – C1, Milagres II – Milagres – C1, e de diversas entradas e adequação de módulos na subestação Milagres II. O período de execução é de maio desse ano até dezembro de 2024 e irá angariar R$ 33 milhões em investimentos em Milagres (CE).