Altas temperaturas impactam perdas e puxam prejuízo da Light

Companhia teve perdas inclusive na área convencional, que não são consideradas de risco

Em teleconferência com acionistas, a diretoria da Light tentou explicar o prejuízo de R$ 41,8 milhões no primeiro trimestre de 2021. Segundo o diretor de finanças e relações com investidores da companhia, Roberto Barroso, as altas temperaturas contribuíram significativamente para o tombo milionário da empresa.

As perdas totais foram de 555 GWh maior no período decorrente da temperatura média ter sido 1,4°C superior ao mesmo período do ano passado, da energia não faturada (150 GWh) e da redução da incorporação de energia (IEN). A companhia teve inclusive perdas na área convencional, que não são consideradas de risco.

De acordo com o executivo, a temperatura impactou negativamente inclusive a energia não faturada, já que ela é uma estimativa de faturamento dos últimos dias do mês e não acompanha a carga em momentos de picos de temperatura.

“Em relação a elevação de perdas na área de tratamento convencional, o principal motivo é a temperatura. Os 150 GWh impactou 95% na área de tratamento convencional, mas vai ser faturado em abril nesta área. Então esperamos uma redução do volume de perdas”.