Olá, esse é um conteúdo exclusivo destinado aos nossos assinantes
Para continuar tendo acesso a todos os nossos conteúdos, escolha um dos nossos planos e assine!
Redação
de R$ 47,60
R$
21
,90
Mensais
Notícias abertas CanalEnergia
Newsletter Volts
Notícias fechadas CanalEnergia
Podcast CanalEnergia
Reportagens especiais
Artigos de especialistas
+ Acesso a 5 conteúdos exclusivos do plano PROFISSIONAL por mês
Profissional
R$
82
,70
Mensais
Acesso ILIMITADO a todo conteúdo do CANALENERGIA
Jornalismo, serviço e monitoramento de informações para profissionais exigentes!

O Grupo CanalEnergia é um dos apoiadores do documentário ‘A Era dos Humanos’, uma produção do Grupo Storm e que estreia em 4 de outubro na plataforma de streaming, Globoplay. A obra é veiculada desde 11 de setembro nos cinemas e explica porque esta é a década mais desafiadora para a humanidade. Nesse sentido, a energia elétrica ganha relevância.

Ao longo dos episódios o documentário acompanha um engenheiro encarregado da manutenção dos aerogeradores de uma usina eólica verificando danos após tempestades. No Nordeste do Brasil, as tempestades sazonais são desafios para a geração eólica, porém entre junho e novembro, essa energia pode contribuir com até 20% do abastecimento elétrico nacional.

A abundância de ventos favoráveis no Brasil evidencia o sucesso da energia eólica como alternativa às fontes fósseis. O roteiro enfatiza a evolução da usina onde o engenheiro trabalha, que se tornará híbrida, combinando energia eólica com placas fotovoltaicas, otimizando o aproveitamento do sistema de transmissão.

O transporte da energia recebe uma atenção especial. A série introduz um conceito inovador: a Rede Global de Interconexão de Energia, um projeto que visa aproveitar a energia renovável onde ela está disponível.

Com a interconexão em larga escala, é possível trazer para os grandes centros de consumo a energia solar do Equador ou a energia eólica dos polos. Além disso, a produção retrata a expertise do setor elétrico nacional na operação de sistemas de transmissão de energia em larga escala, crucial para um sistema global.

A série aborda ainda como o Porto do Pecém, no Ceará, será transformado em um polo de produção de energias renováveis e hidrogênio verde. O hidrogênio verde é gerado através de corrente elétrica proveniente de fontes limpas, como energia solar ou eólica, e possui potencial para contribuir significativamente na descarbonização mundial.

O documentário conta com apresentação de Marcos Palmeira, participação de Luciano Huck e roteiro e direção de Iara Cardoso, a produção explora como os pensamentos, intuições, emoções e sentidos humanos impactam o meio ambiente para explicar como a natureza humana está por trás das mudanças climáticas.

O trabalho que chega no início de outubro ao streaming aponta ainda que até o final desse século as emissões de dióxido de carbono resultantes das atividades humanas devem ultrapassar as emissões vulcânicas que antes ameaçavam o planeta. Hoje, essas emissões de CO2 provenientes da atividade humana são a principal causa dos riscos associados ao aquecimento global.

A série segue a jornada de quatro personagens reais, um paraquedista, um brigadista, um mergulhador e uma desbravadora da floresta amazônica. Por meio de suas histórias, a série faz uma reflexão de como as características da natureza humana podem tanto ameaçar a vida no planeta quanto ser a chave para salvá-lo.

A produção leva o espectador a uma jornada cinematográfica pelos elementos essenciais da vida. São explorados o Ar dos imensos rios voadores da Amazônia, o Fogo dos grandes incêndios no Pantanal, a Água do incrível banco de Abrolhos na Bahia e a Terra dos imponentes Canyons brasileiros em Santa Catarina.

Em uma versão estendida em quatro episódios. “A Era dos Humanos” tem apresentação da State Grid, Taesa e AES Brasil, patrocínio da Eletrobrás e Fundação Grupo Boticário e apoio da Alupar e Wipro.