Olá, esse é um conteúdo exclusivo destinado aos nossos assinantes
Para continuar tendo acesso a todos os nossos conteúdos, escolha um dos nossos planos e assine!
Redação
de R$ 47,60
R$
21
,90
Mensais
Notícias abertas CanalEnergia
Newsletter Volts
Notícias fechadas CanalEnergia
Podcast CanalEnergia
Reportagens especiais
Artigos de especialistas
+ Acesso a 5 conteúdos exclusivos do plano PROFISSIONAL por mês
Profissional
R$
82
,70
Mensais
Acesso ILIMITADO a todo conteúdo do CANALENERGIA
Jornalismo, serviço e monitoramento de informações para profissionais exigentes!

A SPIC Brasil concluiu uma transação financeira de aproximadamente R$ 1,6 bilhão no mercado brasileiro, após captações de recursos no exterior junto ao Bank of China, BOCOM, Deutsche e ICBC. Os prazos são de um a três anos e pagamento de juros trimestrais. A companhia também contratou operações de derivativos (swaps) com o Itaú, JP Morgan, BOCOM BBM e Deutsche a um custo final médio abaixo do CDI.

Os recursos serão integralmente direcionados para capital de giro e pagamento das dívidas com vencimento em outubro e novembro de 2023, garantindo melhoria na liquidez da empresa. A estratégia mais vantajosa, após uma avaliação no mercado nacional e internacional, envolveu a captação de dívida na China, com a transferência desses recursos para o Brasil e a realização de swap para converter o risco da moeda chinesa para reais, com custo final abaixo do CDI.

A captação aconteceu de forma integral em renminbi (RMB), a moeda oficial da República Popular da China, numa estratégia para evitar as taxas de câmbio e os custos associados às transações em dólar, e em um montante até então inédito entre um banco brasileiro e um banco chinês, segundo a companhia. A economia de custo da dívida é superior a R$ 50 milhões ao longo de três anos, o que possibilita uma redução significativa do custo da dívida para os próximos anos da concessão da UHE São Simão realizada em 2018, o que contribuirá para melhorar os resultados financeiros.