Com queda nos preços de energia, IPCA de maio fica em 0,47%

Único grupo a apresentar queda foi Habitação, contribuindo com um impacto de -0,26 p.p. no índice do mês

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) registrou variação de 0,47% em maio, uma queda de 0,59 ponto percentual (p.p.) em relação a taxa de 1,06%, de abril. Já no ano, o IPCA acumula alta de 4,78% e, nos últimos 12 meses, de 11,73%. As informações foram divulgadas nesta quinta-feira, 09 de junho, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Em maio, o único grupo a apresentar queda foi Habitação (-1,70%), contribuindo com um impacto de -0,26 p.p. no índice do mês. A queda deve-se, sobretudo, à energia elétrica (-7,95%), que recuou pelo segundo mês seguido.

Vale lembrar que em 16 de abril, cessou a cobrança extra de R$ 14,20 a cada 100 kWh consumidos, no contexto da bandeira Escassez Hídrica. Desde então, passou a vigorar a bandeira verde, sem cobrança adicional na conta de luz. As variações de energia elétrica nas áreas foram desde -13,49% em Brasília (onde houve redução de PIS/COFINS) até 6,97% em Fortaleza, por conta do reajuste de 24,23% nas tarifas residenciais, a partir de 22 de abril.

Além disso, também foram registrados reajustes tarifários nas contas de energia elétrica das seguintes regiões: Recife (3,27%): reajuste de 18,77%, em vigor desde 29 de abril; Salvador (2,56%): reajuste de 20,97%, vigente desde 22 de abril; Aracaju (0,79%): reajuste de 16,81%, a partir de 22 de abril; e Campo Grande (-1,63%): reajuste de 17,14%, a partir de 16 de abril.