MME aprova eólicas da Enel Green Power como produtores independentes

Obras nas EOLs Ventos de Santa Ângela 9, 10 e 14 vão até 2022 e irão demandar investimentos de cerca de R$ 154,3 milhões por empreendimento. Ministério também enquadrou ao Reidi o projeto que amplia a UTE Jalles Machado, em Goiás

O Ministério de Minas e Energia autorizou a operação como produtores independentes de energia de três projetos relativos as usinas de geração eólica denominadas Ventos de Santa Ângela 9, 10 e 14, ambas localizadas no Piauí. As EOLs, que também foram confirmadas pelo MME como projetos prioritários e enquadradas junto ao Reidi, são de posse da Enel Green Power e cada uma possui 30 MW, com o período de execução das obras indo de 1º de março de 2022 até novembro do mesmo ano. Cada empreendimento irá demandar cerca de R$ 154,3,1 milhões, sem contar a incidência de impostos.

Já o projeto de ampliação em 25 MW da UTE Jalles Machado foi enquadrado pelo Ministério junto ao Reidi. As obras acontecerão entre 1º de novembro de 2019 a março de 2021, demandando investimentos na ordem de R$ 40 milhões, sem a incidência de impostos. A usina está localizada no município de Goianésia, em Goiás.

Outra solicitação aprovada pelo MME junto ao Reidi é relativa ao projeto de ampliação de geração elétrica da UTE Asja Sabará.