Enel Green Power obtém incentivos fiscais para eólicas no Piauí

Com isenção de PIS e Confins representando economia de aproximadamente 12%, projeto das usinas Ventos de Santa Ângela 12, 13, 16 e 18 somam investimentos na ordem de R$ 664,2 milhões

A Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético do Ministério de Minas e Energia enquadrou as centrais eólicas Ventos de Santa Ângela 12, 13, 16 e 18 junto ao Regime Especial para o Desenvolvimento da Infraestrutura (Reidi), segundo despachos publicados no Diário Oficial da União (DOU) da última terça-feira, 11 de junho. O Reidi prevê a isenção de PIS/PASEP e Confins na aquisição de bens e serviços para empreendimentos de infraestrutura.

As usinas são controladas pela subsidiária brasileira de energia renovável do Grupo Enel, a Enel Green Power, e serão construídas até 2020 nos municípios de Lagoa do Barro do Piauí e Dom Inocêncio, ambos no Piauí. Os parques possuem suas respectivas capacidades instaladas em 30 MW, 28,3 MW e os dois últimos em 31,5 MW. Com o enquadramento ao Regime Especial, o valor total a ser aplicado nos empreendimentos caiu de R$ 731,9 milhões para R$ 664 milhões, representando uma economia de aproximadamente 12% sem os encargos.