Cemig melhora controle de religamentos com comunicação via satélite

Solução que assegura conectividade em áreas remotas de Minas Gerais aumentou média da disponibilidade efetiva de monitoramento remoto sobre os equipamentos religadores, passando de 90% para 98%

Uma plataforma baseada em conectividade via satélite tem permitido a concessionárias de energia melhorarem a disponibilidade de controle remoto de seus religadores – dispositivos utilizados em sistemas elétricos com a função de proteger a rede contra problemas transitórios. A solução foi adotada recentemente pela Cemig, no intuito de melhorar seus índices de Duração Equivalente de Interrupção por Unidade Consumidora (DEC) em áreas remotas de Minas Gerais.

Com a falta de conectividade nessas localidades, a comunicação das equipes técnicas com o Centro de Operações da companhia tornou-se bem mais difícil e complicada, já que não era possível enviar comandos remotos para os religadores automatizados em campo. “Muitas vezes, tínhamos que enviar uma equipe para operar o equipamento manualmente com o objetivo de restaurar a energia na área afetada”, afirma Flavio Henrique Martins Vieira, engenheiro de automação e proteção da distribuição da Cemig.

Para melhorar esse processo, as empresas de soluções de comunicação via satélite OnixSat e Inmarsat desenvolveram uma ferramenta baseada na conectividade pelo satélite da Inmarsat para assegurar a cobertura, alcançando os religadores em locais muito remotos na rede de distribuição da empresa. Assim os equipamentos de campo da distribuidora mineira enviem e recebam dados independentemente de sua localização e seu tempo de atividade de 99,9%, o que garante que eles sempre permaneçam conectados, mesmo em condições climáticas adversas.

“Para nós é extremamente gratificante poder contribuir para a melhoria da conectividade e garanti-la em lugares remotos, principalmente dentro do Brasil, um mercado tão importante para a Inmarsat”, afirmou Paul Gudonis, presidente da Inmarsat Enterprise, líder mundial em comunicações móveis globais via satélite.

A colaboração fez com que a Cemig atingisse resultados impressionantes: antes da implantação da solução, a empresa tinha uma disponibilidade efetiva de controle remoto sobre os religadores no projeto de menos de 90%. Após a implantação, o indicador passou a apresentar média de 98% nos pontos em que foi instalada comunicação via satélite. Após iniciar com 150 religadores, a concessionária planeja instalar 760 outros terminais via satélite, que serão usados em suas redes de distribuição e subestações.