Operação de financiamento de termelétrica no Açu ganha prêmio internacional

Projeto venceu duas categorias do 2019 Project & Infrastructure Finance Awards, concedido pela revista Latin Finance

A operação de financiamento para a construção da usina termelétrica do Porto do Açu, no litoral norte do estado do Rio, venceu na última quinta-feira (3), em Nova York, duas categorias do “2019 Project & Infrastructure Finance Awards”, prêmio internacional concedido pela revista Latin Finance. De acordo com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) – apoiador financeiro do projeto juntamente com o banco de desenvolvimento alemão KfW – a engenharia de financiamento da térmica foi indicada ainda ao Deals of the Year, premiação também da Latin Finance a ser realizada no início de 2020.

Pertencente à Gás Natural Açu (GNA), joint venture entre Prumo Logística, BP e Siemens, a usina começou a ser construída no ano passado e deverá iniciar operação em janeiro de 2021. A térmica terá 1,3 GW de capacidade e terá posteriormente a companhia de uma segunda usina de 1,7 GW. A GNA possui licença para produzir até 6,4 GW no Complexo, que terá um terminal de regaseificação de gás natural liquefeito (GNL). Com investimentos de R$ 4,5 bilhões, o projeto tem conteúdo local financiado pelo BNDES. O KfW é responsável pelo financiamento do conteúdo alemão e pela garantia da operação do banco brasileiro.

Na avaliação do diretor-presidente da GNA, Bernardo Perseke, os prêmios são um reconhecimento pelo trabalho de toda a equipe da GNA e dos sócios na estruturação do financiamento, reunindo instituições brasileiras e estrangeiras de grande credibilidade. Já o gerente da Área de Energia do BNDES, Bruno Cabús Müller, lembra que no início das conversas, a GNA já propôs uma estrutura envolvendo o KfW em função de a Siemens ser a fornecedora das turbinas, além de acionista do empreendimento. O empreendimento da GNA é o primeiro projeto de térmica a GNL apoiado pelo BNDES, no montante de R$ 1,76 bilhão.