Cteep percebe mercado aberto e sem riscos para captação

Companhia avança com negociações mais curtas sobre dívida, atenta para operações de M&A e vê obras avançarem em meio ao isolamento social provocado pela pandemia

Em teleconferência ao mercado nessa quinta-feira, 30 de abril, o Diretor Executivo e de Relação com Investidores da ISA Cteep, Alessandro Gregori, afirmou que a companhia não tem percebido riscos de captação no mercado, que segue disponível para sua estratégia de empreender captação mais curtas para a dívida, eventualmente com condição de pré pagamento durante o período de incertezas ocasionado pela pandemia da Covid-19, dadas as condições de alavancagem baixa para honrar os compromissos de vencimento.

“O conselho aprovou a captação de R$ 1,2 bilhão e já temos negociações avançadas com o mercado, que continua aberto, o que é um bom sinal”, avalia o diretor, que disse perceber sim, do ponto de vista dos custos, um aumento efetivo do spreads para essas dívidas. “Com a queda da Selic os custos nominais estão ficando próximos ao valor nominal médio da companhia, com o efetivo reembolso não mostrando muita variação em relação as captações antigas”, explica.

Quanto as atuais possibilidades da transmissora dentro do mercado de fusões e aquisições, o presidente Rui Chammas disse que a postura segue ativa, avaliando tecnicamente algumas oportunidades que podem ser estruturadas mais à frente. “Há empresas que estão em situações mais críticas e os ativos de transmissão tendem a ter uma liquidez mais alta no mercado e a necessidade de caixa para concluir projetos. Estamos olhando mas com cautela”, pontua.

Ademais, Chammas destacou que a Cteep não está com nenhum atraso em suas nove obras em andamento no setor, das 12 que possui em sua carteira de projetos, e que tem respeitado as condições de saúde e de trabalho para os colaboradores que trabalham nesse segmento.