Redução de preços do gás impacta contratos de distribuidoras

Desde janeiro, Petrobras segue cotação internacional do produto que está em queda livre no atual cenário

O Ministério de Minas e Energia informou em nota à imprensa que a redução no preço do gás natural promovida pela Petrobras desde o dia 1º de maio impactou os preços dos contratos de 17 das 18 distribuidoras estaduais que comercializam o produto adquirido da estatal na malha integrada de transporte. Desde janeiro, destaca o MME, o preço da mólecula, que antes era calculado a partir das cotações de uma cesta de óleo, passou a refletir variação externa do preço do produto. Os contratos afetados foram firmados já no ambiente do programa Novo Mercado de Gás, afirma o ministério.

O cenário externo de redução substancial da demanda mundial por petróleo, a partir da pandemia do coronavírus e de fatores geopolíticos, levaram o produto a alcançar o menor patamar de preços em duas décadas. Entre dezembro do ano passado e maio desse ano, a redução na cotação do gás chegou a 36%, em dólares americano no país. Em reais, a queda chegou a 15%, em razão das desvalorização da moeda brasileira no mesmo período. Como a periodicidade do reajuste é trimestral, a próxima correção vai ocorrer em agosto.