BBF planeja acelerar participação em leilões no sistema isolado

Empresa contabiliza 51 MW em capacidade instalada em operação e considera já possuir 'musculatura' para disputar contratos de menor prazo

A Brasil BioFuels (BBF) planeja disputar mais leilões de energia nos sistemas isolados. Agora que a empresa ultrapassou 50 MW em potência instalada em operação, a companhia afirma que possui musculatura para entrar em todas as disputas que forem realizadas, deixando de estar restrita àquelas que negociavam contratos de mais longo prazo. Foi o que revelou o CEO da companhia, Milton Steagall, em sua participação no CanalEnergia Live desta quarta-feira, 22 de junho.

O executivo apontou que a empresa colocou em operação mais duas usinas, essas na região do Vale do Javari no Amazonas. Com essas são 24 unidades em produção por meio do biodiesel da Palma, uma planta naturalmente africana mas que vem sendo produzida em regiões degradadas, nesse caso, no estado de Roraima.

“A empresa priorizou contratos de longo prazo nos primeiros leilões. Contratos inferiores a 15 anos não entramos porque não tínhamos como plantar a palma e depois produzir o combustível. Agora temos 24 usinas de um total de 38 contratados com 51 MW. Em breve teremos mais duas em Roraima, a primeira inicia a geração em agosto e a segunda em março do ano que vem com 56 MW de potência, é a nossa maior”, relacionou ele em sua entrevista. “Agora vamos começar a participar de todos os certames a serem realizados. Sejam contratos de um, dois ou três anos. Temos musculatura e capacidade de produção de biodiesel. Estou esperançoso de que em breve tenhamos mais novidades sobre esse tema”, acrescentou ele.

Veja a entrevista na íntegra durante o CE Live:

Apesar dessa perspectiva, Steagall lembrou que o foco da empresa continuará no atendimento à região dos Sistemas Isolados. Mas isso não apenas para a geração de energia, mas também na produção de biodiesel para o consumo em outras atividades na região, em substituição ao óleo de fonte fóssil. Ele destacou que ainda há um potencial grande de expansão, uma vez que o combustível ainda é amplamente utilizado na região para atividades tanto industriais quanto comerciais e que para isso a empresa vem investindo em uma refinaria em Manaus (AM).

Nesse sentido, o CEO da BBF aponta que outra perspectiva importante para a empresa está na emissão de certificados de energia renovável. Uma vez que o mercado esteja estabelecido por aqui e os valores dos serviços florestais, devidamente remunerados, a companhia vê a possibilidade de atuar nesse segmento também.

O CEO da BBF, Milton Steagall foi o entrevistado dessa quarta-feira, 22 de junho do CanalEnergia Live. A edição está disponível em nosso canal do YouTube, TV CanalEnergia, bem como todos os conteúdos produzidos em vídeo pelo CanalEnergia. Aproveite e se não é nosso seguidor cadastre-se e ative as notificações para ficar sempre informado de todas as atualizações.