Olá, esse é um conteúdo exclusivo destinado aos nossos assinantes
Para continuar tendo acesso a todos os nossos conteúdos, escolha um dos nossos planos e assine!
Redação
de R$ 47,60
R$
21
,90
Mensais
Notícias abertas CanalEnergia
Newsletter Volts
Notícias fechadas CanalEnergia
Podcast CanalEnergia
Reportagens especiais
Artigos de especialistas
+ Acesso a 5 conteúdos exclusivos do plano PROFISSIONAL por mês
Profissional
R$
82
,70
Mensais
Acesso ILIMITADO a todo conteúdo do CANALENERGIA
Jornalismo, serviço e monitoramento de informações para profissionais exigentes!

A transferência de recursos do Tesouro Nacional para cobrir parte do orçamento da Conta de Desenvolvimento Energético (CDE) pode reduzir as variações das tarifas de energia em 0,5 ponto percentual em 2024 para cada R$ 1 bilhão aportado. Esse cálculo foi realizado pela TR Soluções, empresa de tecnologia especializada em tarifas de energia, considerando a hipótese apresentada pelo ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, no início desta semana.

A simulação do impacto tarifário foi feita considerando três cenários de aportes de recursos na CDE, o primeiro foi de R$ 5 bilhões, um segundo de R$ 10 bilhões e um terceiro de R$ 15 bilhões. Os resultados apontam que as transferências dessas ordens de valores levariam os reposicionamentos médios das tarifas de aplicação para os consumidores residenciais para 1,43%, no primeiro caso, depois alcançaria variação negativa de 1,10% no segundo e cairia 3,47% no terceiro, isso já em 2024.

Atualmente, as projeções do Serviço para Estimativa de Tarifas de Energia, da TR Soluções, indicam que, em média, os reposicionamentos tarifários dos consumidores residenciais devem ser de 4% no ano que vem. O estudo completo está disponível para ser acessado neste link.