Olá, esse é um conteúdo exclusivo destinado aos nossos assinantes
Para continuar tendo acesso a todos os nossos conteúdos, escolha um dos nossos planos e assine!
Redação
de R$ 47,60
R$
21
,90
Mensais
Notícias abertas CanalEnergia
Newsletter Volts
Notícias fechadas CanalEnergia
Podcast CanalEnergia
Reportagens especiais
Artigos de especialistas
+ Acesso a 5 conteúdos exclusivos do plano PROFISSIONAL por mês
Profissional
R$
82
,70
Mensais
Acesso ILIMITADO a todo conteúdo do CANALENERGIA
Jornalismo, serviço e monitoramento de informações para profissionais exigentes!

A EDP está acelerando a execução do seu compromisso de ser neutra em carvão até 2025, com um reforço dos planos para as centrais a carvão que operam na Espanha. A companhia pediu autorização ao operador do sistema elétrico espanhol (Red Eléctrica) para encerrar a central a carvão Aboño I, bem como as últimas centrais a carvão da EDP na Espanha (Soto 3 e Los Barrios).

Estas decisões representam mais um importante passo rumo à descarbonização total do seu portfólio, após a venda da central a carvão de Pecém, no Brasil, e o encerramento da central de Sines, em Portugal. Além disso, a EDP também irá converter a central térmica de Aboño II, na Espanha, de carvão para gás, prevista para meados de 2025.

A companhia também estabeleceu uma nova parceria com o grupo industrial asturiano Corporación Masaveu, por meio da venda de uma participação de 50% em Aboño, por uma Enterprise Value de c.€350 milhões e um Equity Value de €60 milhões por 100% do ativo. Aboño é constituída por dois grupos a carvão (Aboño I e II), com uma capacidade combinada de 904 MW, e que estão localizadas perto de Gijón e do porto de Musel, desempenhando um papel fundamental no apoio à segurança do abastecimento de eletricidade à região das Astúrias.

A nova parceria industrial EDP com a Corporación Masaveu prevê o controle em conjunto da gestão de Aboño. O acordo reforça o compromisso com as Astúrias, juntamente com um parceiro industrial com forte presença na região, mantendo as condições de todos os trabalhadores da central.

A EDP manterá a propriedade total e o desenvolvimento dos planos de Transição Justa em Aboño, tais como os projetos de hidrogênio e de energias renováveis. O vale do hidrogênio verde das Astúrias, em Aboño, é um dos projetos mais importantes da Europa neste mercado e obteve a certificação IPCEI da Comissão Europeia. A companhia comprometeu-se a ser neutra em carvão até 2025, 100% renovável até 2030 e a atingir a neutralidade de carbono até 2040.