As Associações brasileiras de energia eólica (ABEEólica), solar fotovoltaica (Absolar), da indústria elétrica e eletrônica (Abinee) e de soluções de armazenamento de energia (ABSAE e Abaque) emitiram uma carta posicionando-se a favor da contratação de sistemas de armazenamento de energia associados à geração renovável no Leilão de Reserva de Capacidade programado para agosto. A publicação acontece no âmbito da consulta pública, aberta 8 de março, que ajudará a definir a portaria com as diretrizes de contratação do certame.

Inicialmente a nota destaca as sugestões trazidas pela Empresa de Pesquisa Energética de ampliar a participação de novas tecnologias que contribuam para uma economia de baixo carbono, abrindo o caminho para soluções que posicionem o país na vanguarda global da transição energética. Acenos recentes do governo também demonstram a intenção do ministério com a inclusão de soluções integradas de storage.

No que tange a incorporação dos recursos mencionados, os avanços consideram a compatibilidade das soluções de baterias com a demanda de potência do sistema elétrico, que de acordo com a EPE é de uma a quatro horas diárias; a existência de módulo para gestão das soluções no modelo DESSEM para viabilizar a integração e despachabilidade do Sistema Interligado Nacional e clareza quanto às vantagens da contratação de fontes renováveis acopladas ao armazenamento e a sua viabilidade regulatória, com pontuais ajustes contratuais.

Entre outros pontos mencionados está a capacidade de redução das perdas de energia limpa em horários de excesso de geração, uma vez que o armazenamento permite a transferência para os momentos de maior carga; e a redução dos custos de baterias em mais de 50% nos últimos dois anos em todo o mundo, com a existência de fabricantes no país.

Segundo o documento, os sistemas compostos por baterias já se constituem uma realidade no Brasil, com diversos projetos em operação validados pela Aneel. Já globalmente são mais de 30 GW em storage implementados anualmente, dos quais 21 GW estão localizados na China, 8 GW nos Estados Unidos e mais de 5 GW na Europa.