A Nextracker anunciou o investimento de US$ 25 mil no projeto Kurasí Tury, um piloto da Revolusolar para o desenvolvimento de um novo modelo energético sustentável e acessível para comunidades indígenas na Amazônia. Entidades como Tardezinha, UCB e a Honnold Foundation também fazem parte do projeto.

Segundo a empresa, o projeto Kurasí Tury realizou em 2022 a instalação de um sistema fotovoltaíco e um inversor na Escola Indígena Municipal Arú Waimi, localizada na comunidade indígena Terra Preta, que fica a 55 quilômetros de Manaus (AM). Ao todo, foram gerados 8,2 quilowatt-pico (kWp). No total, 20 moradores locais foram capacitados como instaladores de energia solar fotovoltaica a fim de garantir mão de obra qualificada para realizar a manutenção do sistema fotovoltaico instalado, e seis oficinas sobre energia solar e mudanças climáticas foram ministradas no local para manutenção do engajamento da comunidade com o tema e os sistemas fotovoltaicos agora presentes.

Um relatório da Revolusolar apontou que, em novembro de 2023, a população da comunidade Terra Preta ficou nove dias sem eletricidade da rede elétrica. Durante esse período, as famílias dependeram exclusivamente da eletricidade fornecida pelo sistema fotovoltaico instalado na escola, o único local que não sofre com apagões prolongados. A verba doada foi destinada a segunda fase do projeto, iniciada em dezembro de 2023 para levar energia ao centro de saúde, centro comunitário e sistema de bombagem de água. Da capacidade total instalada, foram gerados 1,3 MWh de energia.

O projeto conta com o apoio da Coordenação dos Povos Indígenas de Manaus e Entorno (COPIME), a Associação Comunitária Indígena de Terra Preta (ACINCTP) e o Instituto Federal do Amazona (IFAM).