Resultados

Glossário

P
Valor limite de um indicador de continuidade aprovado pela ANEEL e utilizado para a análise comparativa com os indicadores de continuidade apurados.
Uma partida rápida de uma fonte geradora não rotativa desativada, fora de operação. Equivalente à partida de um carro após um período fora de uso. (EUA)
Número de vezes que a unidade foi sincronizada (EUA)
Eliminação de alguma etapa ou intermediação. Ação de um cliente de varejo para obter energia ou gás natural diretamente de um fornecedor de atacado ou transportador, eliminando assim quaisquer taxas de “concessionária” aplicáveis à distribuição. Esse termo é também por vezes aplicado quando um usuário final encerra as operações, instala capacidade de combustível alternativo ou muda suas operações para a área de serviço de outro fornecedor de gás natural, interrompendo assim as compras de seu fornecedor tradicional. (EUA)
Produtos químicos sintéticos (di-fenilas policloradas), fabricadas de 1929 a 1977, encontradas em equipamentos elétricos, tais como reguladores de voltagem e chaves, e usados para refrigerar capacitores e transformadores elétricos. A fabricação de PCBs foi proibida em 1979.
A unidade mais comum para medir volume de gás. A quantidade de gás necessária para preencher um volume de um pé cúbico em dadas condições de temperatura, pressão e vapor d’água. Obs.: 1 pé cúbico = 0,02832 metros cúbicos.
Uma medida do fluxo de água representado por um pé cúbico em movimento por um determinado ponto em um segundo.
Ato voluntário do interessado que solicita ser atendido pela concessionária no que tange à prestação de serviço público de fornecimento de energia elétrica, vinculando-se às condições regulamentares dos contratos respectivos.
Sistema ou conjunto de sanções definidas pela ANEEL, aplicável em caso de inobservância ou descumprimento das Regras de Mercado ou dos Procedimentos de Mercado.
Medida da expectativa de que a demanda do sistema exceda a capacidade durante um dado período, geralmente expresso como número esperado de dias por ano (p.ex. um dia em dez anos).(EUA)
Redução da energia útil provocada pelo escoamento da água num circuito hidráulico.
Gás natural perdido por vazamento ou condensação na entrega de gás natural aos consumidores através de tubulações de distribuição. (EUA)
A redução no volume de gás natural úmido devida à remoção de líquidos do gás natural, sulfeto de hidrogênio, dióxido de carbono, vapor d’água e outras impurezas do fluxo de gás natural. Também chamada de ENCOLHIMENTO. (EUA)
Energia perdida na transmissão entre um ponto e outro. É medida pela diferença entre as energias totais que passam entre o primeiro e o segundo pontos. (EUA)
Quantidade de eletricidade perdida no sistema. Há perdas de transmissão, transformação e distribuição entre as fontes de suprimento e os pontos de entrega. A perda de energia elétrica resulta basicamente do aquecimento nos elementos de transmissão e distribuição.
Sempre que uma corrente elétrica percorre um condutor, ocorrem perdas. Estas perdas são ocasionadas pela resistência do condutor, sob a forma de calor. Este efeito é conhecido como “Efeito Joule”.
A parte de um registro histórico de vazão que produziria o mínimo de energia. O período crítico é usado para determinar a máxima capacidade de carga firme do sistema atual em condições de “pior caso”.(EUA)
Intervalo de tempo em que as condições de oferta e demanda de energia levam à definição de um esquema de produção específico e à determinação do respectivo Preço do Mercado de Curto Prazo;
Período no qual, em virtude de condições hidrológicas desfavoráveis, o armazenamento projetado do sistema é inteiramente utilizado para o fim de produzir energia ou, período de uma série histórica ou simulada que necessita um maior volume armazenado para produzir uma vazão especificada. É geralmente definido a partir do início da utilização do armazenamento até o seu preenchimento.
(1)Período de 7 (sete) meses consecutivos, compreendendo os fornecimentos abrangidos pelas leituras de maio a novembro.

(2)Período do ano hidrológico caracterizado, historicamente, pela menor incidência de precipitações.
(1)Período de 5 (cinco) meses consecutivos, compreendendo os fornecimentos abrangidos pelas leituras de dezembro de um ano a abril do ano seguinte.

(2)Período do ano hidrológico caracterizado pela maior incidência de precipitações, sendo definidas para cada região geográfica, em função de observações históricas.
Medida da facilidade com que um fluido passa pela rocha em resposta a diferenças de pressão (medidas em darcys). A permeabilidade implica que haja algum grau de porosidade na rocha..-
Delegação, para fins de prestação de serviço público a título precário, estabelecida pelo Poder Concedente à pessoa física ou jurídica, formalizada via contrato de permissão.
Curto-circuito, fio quebrado, ligação intermitente ou algum outro evento em um sistema energético.
A quantidade de água necessária para cobrir um acre até a profundidade de um pé. Essa medida é usada para descrever a quantidade de armazenagem em um reservatório hídrico. Um domicílio médio de quatro pessoas consumirá aproximadamente um pé-acre por ano. (EUA)

Obs.: um acre = 4047 m2 e um pé = 0,3048 m.
Mistura complexa de vários hidrocarbonetos existente no estado líquido e encontrada em reservas subterrâneas, geralmente associada com gás. O petróleo inclui óleo combustível nº 2, nº 4, nº 5, nº 6; cru destilado; querosene; e combustível de aviação.
Máxima demanda instantânea requerida num intervalo de tempo (dia, mês, ano, etc.).
Transiente abrupto de corrente, tensão ou potência em um circuito elétrico ou através de um sistema elétrico. (EUA)
Uma descrição da tarifação elétrica e dos termos e condições que governam sua aplicação, inclusive termos contratuais pertinentes e condições que tenham sido aceitas por um organismo regulador com supervisão oficial adequada. (EUA)
A União ou entidade por ela designada
O direito de um concessionário interromper a transmissão quando a confiabilidade do sistema estiver ameaçada ou existirem condições emergenciais. (EUA)
A menor unidade monetária de variação em um preço futuro.
Unidade de pressão que representa a pressão necessária para suportar uma coluna d’água com uma polegada de altura. Geralmente referida como polegadas W.C. (coluna d’água)´; 27,68 polegadas de água são iguais a uma libra por polegada quadrada. (EUA)
Unidade de pressão que representa a pressão necessária para suportar uma coluna de mercúrio com uma polegada de altura; 2,036 polegadas de mercúrio são uma libra por polegada quadrada ao nível do mar. Obs.: 1 polegada = 2,54 cm de altura; 1 libra = 0, 4536 kg.
A demanda máxima de energia de um sistema de transmissão ou distribuição em algum período ou em uma base horária do dia (por exemplo: de hora em hora).(EUA)
O final do transporte de gás natural, desde a saída do poço e até o ponto de consumo. (EUA)
Ponto de conexão do sistema elétrico da concessionária com as instalações elétricas da unidade consumidora, caracterizando-se como o limite de responsabilidade do fornecimento.
O ponto em um sistema de gasoduto no qual se entrega o gás natural por ele transportado. (EUA)
Local definido para instalação de instrumentos para medir grandezas elétricas.
O ponto mais longínquo à montante em um sistema de gasoduto (geralmente na área de produção ou contíguo à mesma), quando o transporte é separado da venda e do ponto de direito ao gás.
A temperatura e pressão nas quais um líquido começa a se transformar em vapor.
Uma empresa que voluntariamente fornece seus serviços para outros em uma base contratual privada. (EUA)
Na negociação futura, a condição de compra ou venda de papeis negociáveis.
O proprietário de uma opção também possui a ação, papel negociável, ou (commodity) mercadoria e comprou uma opção de venda da mesma.
Vide Long
Na negociação futura, a diferença entre os contratos de longo prazo abertos e os de curto prazo, relativos a uma mercadoria.
Quantidade de energia elétrica solicitada na unidade de tempo, expressa em quilowatts (kW).

Um termo geralmente usado denotando, conforme o contexto, tanto a capacidade (potência) quanto a energia. A velocidade à qual é transferida a energia. (EUA)
Resultado da soma da potência ativa (W), (parcela efetivamente transformada em potência mecânica, térmica e luminosa), mais a potência reativa (Var), (parcela transformada em campo magnético necessário ao funcionamento de equipamentos como motores, transformadores e reatores).
Potência elétrica nos terminais do gerador.
A mais baixa potência com que uma central pode funcionar em condições técnicas corretas.
Potência que o sistema elétrico da concessionária deve dispor para atender às instalações elétricas da unidade consumidora, segundo os critérios estabelecidos na Resolução ANEEL 456/2000 e configurada nos seguintes parâmetros: unidade consumidora do Grupo "A": a demanda contratada,expressa em quilowatts (kW); b) unidade consumidora do Grupo "B": a potência em kVA, resultante da multiplicação da capacidade nominal ou regulada, de condução de corrente elétrica do equipamento de proteção geral da unidade consumidora pela tensão nominal, observado no caso de fornecimento trifásico, o fator específico referente ao número de fases.
Intensidade dos efeitos de luz e calor. Um exemplo é a lâmpada, que é a potência elétrica transformada em potência luminosa e térmica. Capacidade nominal de um equipamento para produzir trabalho. Produto da tensão (V) pela corrente elétrica (I), ou seja, Pot.= V . I. A unidade de potência elétrica é o Watt (W).
Potência elétrica máxima que, em cada momento e em um determinado período, poderia ser obtida na central ou no grupo, na situação real em que se encontra nesse momento, sem considerar as possibilidades de colocação da energia elétrica que seria produzida.
Maior potência elétrica que pode ser obtida em uma central ou em um grupo, durante um tempo determinado de funcionamento, supondo em estado de bom funcionamento a totalidade das suas instalações e em condições ótimas de alimentação (combustível ou água).
Energia elétrica ou capacidade de produção elétrica destinada à disponibilização em qualquer época, durante o período coberto por um compromisso garantido de entrega, mesmo em condições adversas, mas sujeita a interrupções de força maior.
A potência firme compreende energia firme ou capacidade firme, ou ambas. (EUA)
Soma das potências nominais de equipamentos elétricos de mesma espécie instalados na unidade consumidora e em condições de entrar em funcionamento.
Soma das potências nominais de todas as unidades geradoras instaladas.
Potência máxima em regime contínuo para a qual a instalação foi projetada. Normalmente vem indicada nas especificações fornecidas pelo fabricante e na chapa afixada nas máquinas ou unidades geradoras das usinas).(EUA)
A parcela da energia elétrica capaz de realizar trabalho real ou transferência de energia.
A potência real é utilizada para suprir a carga do consumidor na rede de transmissão e é expressa em megawatts. (EUA)
A potência reativa é utilizada para controlar a voltagem na rede de transmissão, particularmente a parcela da energia elétrica incapaz de realizar trabalho real, ou de transferir energia (Vide Potência Real). A potência reativa é aquela parcela da eletricidade que estabelece e mantém os campos elétrico e magnético dos equipamentos de corrente alternada. Ela tem de ser fornecida à maioria dos tipos de equipamento magnético, tais como motores e transformadores. Ela deve também suprir as perdas reativas nas instalações de transmissão. A potência reativa é fornecida por geradores, condensadores sincronos ou equipamento eletrostático, como capacitores, e influencia diretamente a voltagem do sistema. É medida em megavars. (EUA)
Potência elétrica na saída da central.
Quantidade máxima de energia elétrica que pode ser obtida em uma região determinada ou em uma bacia hidrográfica durante um ano médio, tendo em conta os desníveis correspondentes referidos a um dado ponto dessa região ou bacia.
O prazo de eficácia de um contrato.
Um dispositivo que extrai partículas de gases combustíveis antes de sua saída pela chaminé de uma usina elétrica.
Quantidade de dinheiro ou remuneração em espécie pela qual um serviço é comprado, vendido ou oferecido à venda.
(1)Um sistema de preços destinado a ignorar todos custos, exceto aqueles associados com o próximo incremento de produção. Às vezes chamado de preço de custo incremental. (EUA)

(2)Sistema em que os preços são tornados iguais ao custo marginal. Já que este precisa ser estabelecido de modo que toda a produção seja vendida, e já que o custo marginal varia com o produto, o preço de custo marginal implica estabelecer preços em um ponto onde a curva da demanda cruze a de custo marginal.(Michaelis)
O preço pelo qual uma opção pode ser exercida. Uma diminuição no preço de exercício tem o mesmo efeito que um aumento no preço corrente do bem subjacente.
(1)Preço corrente de um instrumento subjacente no mercado

(2)Preço ao qual um valor ou mercadoria está sendo vendido no mercado aberto. É o mesmo que valor de mercado . (Michaelis)
Preço vigente para cada período de apuração e por submercado, utilizado para valorar a energia elétrica transacionada no Mercado de Curto Prazo do MAE.
Um contrato no qual um preço designado e exato é especificado para mercadorias. Um contrato de preço fixo geralmente tem variações no preço fixo tais como reajustes ou redimensionamentos devido a aumento de custos ou incentivos para atender diversas metas.
(1)Um compromisso de compra (longo prazo) ou venda (curto prazo) de um bem subjacente, em uma data especificada e a um preço especificado (conhecido como preço de exercício ou de entrega futura) na origem do contrato.

(2) preço a termo; preço futuro. Preço ao qual alguém está disposto a comprar ou vender, valores ou mercadorias, para entrega em uma data especificada no futuro.(Michaelis)
Preço de energia de uma unidade que já esteja operando. Inclui apenas combustível e O&M variáveis, mais margem. (Lâmbda do sistema + Margem, vide esses termos) . (EUA)
Objetivo: O Preço Médio de Eletricidade é um parâmetro, como o próprio nome já diz, que define o custo da energia elétrica para uma unidade consumidora, resultado das tarifas aplicadas e o regime de operação.

Principais variáveis necessárias ao cálculo: Demanda, Consumo, Fator de Carga e Índice de Modulação e tarifas de energia elétrica por classe de tensão e modalidades tarifárias.

Metodologia de cálculo do preço médio.

Comparação de Tarifas das diferentes modalidades tais como:azul, verde e binômia convencional, por subgrupo de tensão de fornecimento.

Para ambas as modalidades tarifárias, são apresentadas para os períodos seco e úmido, e a média anual, na qual são ponderados os preços médios:

Pm anual = (7*Pm(seco) + 5*Pm(úmido))/12.

Alguns parâmetros são adotados para suporte de cálculo:

CP/CT: Relação entre o consumo na ponta e o consumo total, esse parâmetro foi escolhido por ser comum às modalidades azuis e verde.

Fator de C
O preço fixo pelo qual uma posição será estabelecida ou comprada à vista se o comprador exercer a Opção. (Vide Opção para mais detalhes.)
Método de formação de preço que estabelece tarifas com base em uma média ponderada de todos custos, ao invés de alocar custos específicos a determinados consumidores. (EUA)
Pressão acima daquela de um vácuo perfeito; a soma de pressão de manômetro com a pressão atmosférica.
Pressão do peso de ar e vapor d’água sobre a superfície terrestre. A pressão atmosférica média ao nível do mar tem sido definida para fins científicos como 14, 696 libras por polegada quadrada. A Associação Americana de Gás, a FERC e todas outras agências federais americanas adotaram 14, 73 libras por polegada quadrada como base da pressão normal.
Carvão amorfo quase puro consistindo em partículas extremamente finas, geralmente produzidas por hidrocarbonetos gasosos ou líquidos pela combustão controlada com suprimento restrito de ar ou por decomposição térmica.
(1)Ordem de encerrar uma posição com prejuízo quando o preço atinge um ponto especificado.(EUA)

(2) Ordem que um cliente dá a um corretor para vender valores ou mercadorias, conforme o caso, quando os preços de bolsa atingirem um mínimo predeterminado.(Michaelis)
Uma estimativa do nível de energia ou capacidade, provavelmente necessário em algum ponto do futuro.
Previsão de demanda elétrica. O processo de estimar ou calcular a carga elétrica ou os requisitos de produção de recursos em algum ponto do futuro.