Resultados

Glossário

C
Um equipamento para gerar vapor para fins de energia, processamento ou aquecimento, ou para fornecer água quente. O calor de uma fonte de combustão para eletricidade é transmitido para um fluido contido dentro dos tubos da carcaça da caldeira. Esse fluido é levado para um usuário final a uma pressão, temperatura e qualidade desejadas. As caldeiras costumam ser classificadas como de vapor ou água quente, baixa ou alta pressão, capazes de queimar um ou vários combustíveis. (EUA)
Um dispositivo para medir a quantidade de calor liberado pela combustão de um composto ou uma mistura.
Entidade destinada a estruturar, organizar e administrar processo alternativo de solução de conflitos, de âmbito específico, por meio de arbitragem, mediante seleção, credenciamento, treinamento e indicação de árbitros, bem como regulamentar e criar a infra-estrutura necessária para decidir sobre os respectivos processos.
Campos invisíveis de força que circundam o movimento da eletricidade.
Opção de compra para taxas de juros futuros. Um Cap torna-se mais caro à medida que a curva de rentabilidade sobe mais rapidamente e aumenta a volatilidade da taxa de juros subjacente.(EUA)
A quantidade de capacidade disponível para compra em outros sistemas energéticos. Geralmente medida em megawatts (MW). (EUA)
Capacidade máxima bruta alterada por limitação sazonal, em um período de tempo específico.(EUA)
Capacidade máxima sustentada por uma unidade em um período especificado modificado por limitações sazonais e reduzido pela capacidade necessária para serviço ou auxiliares da usina. (EUA)
Volume do reservatório correspondente ao nível normal máximo.
A quantidade de energia firme que pode ser produzida por um sistema de energia hidrelétrica, baseada na mais baixa seqüência registrada de vazões do sistema e na máxima capacidade de armazenagem de reservatório atualmente disponível para o sistema. (Obs.:Carrying Capability com o sentido estrito de Capacidade de Carga / Dic. Termos Técnicos - Eugênio Fürstenau).(EUA)
A capacidade de qualquer usuário, tal como um estabelecimento industrial, de usar mais do que um combustível, mesmo que as instalações para tal uso não tenham sido efetivamente instaladas. (EUA)
Em geral, a capacidade de partida rápida se refere a unidades geradoras que podem disponibilizar a carga dentro de um período de 3 minutos.
A capacidade das instalações ou equipamentos normalmente usados para fornecer gás ou eletricidade incrementais em condições de demanda extrema. A capacidade de ponta geralmente é disponível durante um número limitado de dias a uma taxa máxima. (EUA)
Capacidade além daquela necessária para transportar a carga de ponta, disponível para atender demandas imprevistas de energia ou para gerar energia em caso de perda de geração. (EUA)
Unidade de medida da capacidade de transferência remanescente na rede física de transmissão para atividade comercial posterior, para além do uso empenhado. (EUA)
A capacidade de um usuário final mudar prontamente o tipo de combustível consumido por um combustível alternativo sempre que surgir vantagem de preço ou fornecimento. (EUA)
Capacidade máxima na qual uma unidade pode operar com uma redução imposta. (EUA)
Capacidade efetiva de unidades geradoras principais operáveis, mas não consideradas necessárias para transportar carga e que não podem ser ligadas à carga em até 30 minutos. (EUA)
A capacidade de um equipamento de queima energética de usar mais de um tipo de combustível alternativamente. (EUA)
A capacidade da saída de potência real de um gerador ou sistema, tipicamente em megawatts, medida de forma instantânea.
A quantidade de potência elétrica fornecida ou requerida para a qual um gerador, turbina, transformador, circuito de transmissão, estação ou sistema é definida pelo fabricante.
A potência máxima que pode ser produzida por uma fonte geradora em épocas e condições especificadas.
Capacidade firme liberada sujeita ao direito de cancelamento pelo transportador respectivo, de acordo com critérios especificados, tais como tempo frio, força maior, perda do mercado, perda de gás, etc. (EUA)
A quantidade máxima de gás natural que pode ser produzida, transportada, armazenada, distribuída ou utilizada em um dado período de tempo nas condições de projeto. (EUA)
Potência máxima em regime contínuo para a qual a instalação foi projetada. Normalmente vem indicada nas especificações fornecidas pelo fabricante e na chapa afixada nas máquinas.
Capacidade projetada para operar menos horas do que a carga de base, mas mais do que a capacidade de ponta (geralmente 20 – 60%). (EUA)
Capacidade Própria Total +
Capacidade do Contratante, Disponível de Produtores Independentes de Energia +
Líquido das Compras e Vendas Totais de Capacidade –
Soma de Capacidade inoperável e Desligamentos Planejados= (EUA)
A máxima capacidade de transporte de carga de uma usina de energia, menos o uso próprio da usina, em condições especificadas durante um intervalo de tempo, independentemente das características da carga. A capacidade é determinada por características de projeto, condições físicas, adequação da força motriz, suprimento de energia e limitações operacionais tais como fornecimento de água de refrigeração e circulação, cotas de água a montante e jusante, e uso elétrico. (EUA)
Capacidade máxima que uma unidade pode sustentar durante um período especificado, quando não restrita por razões sazonais ou outras. (EUA)
Capacidade máxima bruta menos a capacidade da unidade utilizada para serviço ou auxiliares da usina daquela unidade. (EUA)
A classificação a plena carga contínua de um gerador, força motriz ou outro equipamento de produção de energia elétrica em condições específicas designadas pelo fabricante. A classificação nominal instalada de gerador é geralmente indicada em uma plaqueta fisicamente colocada no gerador. (EUA)
Um elemento de transmissão projetado para injetar potência reativa na rede de transmissão. Também utilizado para elevar tensões, reduzir cargas e aumentar a saída de kW disponíveis nos geradores. As unidades dos capacitores costumam ser dadas em Megavars.
Capital Social . A soma de capital devido a lucros retidos e emissão de ações.
Quantidade de energia elétrica entregue ou requerida em quaisquer pontos específicos de um sistema. O requisito se origina nos equipamentos consumidores de energia dos usuários. A carga de um sistema de “concessionária” elétrica é afetada por muitos fatores e variações em uma base diária, sazonal e anual, geralmente seguindo um padrão. A carga do Sistema Elétrico costuma ser medida em megawatts (MW). (EUA)

Compare com DEMANDA. (EUA)
Limite mínimo de energia consumida em qualquer horário/dia de atendimento.
A quantidade mínima de energia elétrica ou gás natural fornecida ou requerida em um dado período a uma taxa constante. A carga ou demanda contínua mínima em um sistema energético em um dado período, geralmente insensível à temperatura. (EUA)
Quantidade de energia consumida no horário de pico do atendimento (normalmente, entre 18h e 22h).
A máxima carga consumida ou produzida por uma unidade ou grupo de unidades em um dado período. (EUA)
A soma de duas ou mais cargas de ponta que ocorrem no mesmo intervalo de tempo.(EUA)
Soma das potências nominais dos equipamentos elétricos instalados na unidade consumidora, em condições de entrar em funcionamento, expressa em quilowatts (kW).
A faixa da carga de base desde um ponto entre a carga de base e a ponta. Esse ponto pode ser o ponto médio, uma porcentagem da carga de ponta ou a carga em um período especificado. (EUA)
Demanda que pode ser interrompida pela ação direta do operador do sistema fornecedor, de acordo com dispositivos contratuais, em épocas de carga de ponta sazonal. Geralmente envolve consumidores comerciais e industriais. Em alguns casos, a redução de carga pode ser afetada pela ação direta do operador do sistema (desligamento remoto), após aviso ao consumidor de acordo com as previsões contratuais. Por exemplo, cargas que possam ser interrompidas para atender requisitos de planejamento ou reserva operacional devem ser consideradas interrompíveis. A Carga Interrompível aqui definida inclui o Controle de Carga Direta e outros Gerenciamentos de Carga. (EUA)
Denominação dada ao consumo de energia elétrica na madrugada. É a parte da curva de carga onde são registrados os menores consumos de energia elétrica do dia.
Denominação dada ao consumo de energia elétrica que compreende o período do final da tarde (em torno das 20h, aproximadamente). É a parte da curva de carga onde são registrados os maiores consumos de energia elétrica do dia.
Maior média de demanda, medida num intervalo de 60 segundos e verificada num determinado período de referência.
Demanda média requerida de uma instalação ou conjunto de instalações durante um determinado período de referência (relação entre a eletricidade gerada em MWh e o tempo de funcionamento das instalações).
Substância combustível sólida negra ou preto-amarronzada, formada pela decomposiçção parcial de matéria vegetal sem aceso ao ar.
Uma forma de carvão freqüentemente chamada de “hulha”, geralmente usado na produção de aço, caracterizado por baixo teor de matéria volátil, enxofre, cinza e baixo índice Hargrove (que indica ser carvão hulha, ou de matérias vegetais fossilizadas da época carbonífera) e alto valor calorífico, geralmente igual ou superior a 13.500 Btu/libra.. Obs.: 1 Btu = 1054,8 joules.
Carvão de idade geológica mais antiga do que o sub-betuminoso, com maior valor calorífico, menos enxofre, tipicamente mais material volátil e cinza do que o carvão sub-betuminoso. Usado para produção tanto de vapor quanto de eletricidade, bem como para produção de aço. O carvão metalúrgico costuma ser betuminoso, com um índice de inchamento livre maior do que 4,5 e com “divisões de mostrador por minuto” (uma medida da “fluidez”) maior do que 1.500 e às vezes superior a 20.000. O valor calorífico do carvão betuminoso tipicamente varia de 10.000 a 13.000 Btu/libra.
Carvão, geralmente betuminoso, aquecido em uma atmosfera sub-estequiométrica até que a matéria volátil do carvão seja liberada e o carvão passe pelo “estágio plástico” para se tornar coque metalúrgico, usado como insumo de carvão em uma siderúrgica integrada.
Carvão preto recente com alto conteúdo de unidade, entre 15 e 40 por cento em peso. Nos EUA o exemplo mais citado é o carvão da Bacia do Rio Power, encontrado em Wyoming e Montana. O valor calórico varia entre 7.000 até pouco mais de 9.000 Btu/libra. Esse tipo de carvão é considerado por muitos como tendo as maiores reservas mundiais em peso. Países como a Indonésia e Malásia têm mais carvão sub-betuminoso do que betuminoso. O valor do enxofre é tipicamente bem baixo, e a cinza é também geralmente baixa. A matéria volátil é geralmente alta, podendo passar de 40% do peso do carvão “recebido”.
Fato extraordinário ou irresistível, totalmente imprevisível ou irreconhecível conforme Artigo 1.058 do Código Civil Brasileiro.
Composta pela classe dos Agentes de Comercialização, dos Agentes Compradores de Quota-Parte de Itaipu, dos Consumidores Livres e dos Agentes de Exportação.
Composta pela classe dos Agentes de Geração e pela classe dos Agentes de Importação.
Demanda cobrada pela qual um consumidor paga mensalmente, independentemente do consumo efetivo. A cobrança da demanda é baseada na taxa de consumo de ponta durante um período cíclico (geralmente 12 meses). (EUA)
Um dispositivo que gera corrente elétrica contínua por meio de um processo eletroquímico. (EUA)
Órgão cuja função é conduzir a exploração das instalações de uma rede.
Lugar de onde são despachadas as usinas elétricas de um sistema. A partir de vários critérios de operação (segurança, custo, otimização, etc), são definidas quais as quantidades de energia que cada usina elétrica, pertencente ao sistema, deverá gerar para atender aos consumidores deste sistema.
Também chamada precipitação ácida ou deposição ácida, a chuva ácida é uma precipitação contendo quantidades prejudiciais de ácidos nítrico e sulfúrico, formados basicamente por óxidos de nitrogênio e enxofre liberados na atmosfera por ocasião da queima de combustíveis fósseis. Ela pode ser uma precipitação úmida (chuva, neve ou neblina) ou seca (gases absorvidos e matéria particulada, partículas de aerosol ou poeira). A chuva ácida tem um pH abaixo de 5,6. A chuva normal tem um pH em torno de 5,6, o que é levemente ácido. O termo pH é uma medida da acidez ou alcalinidade, variando de 0 até 14. Um valor 7 de pH é considerado neutro. Valores abaixo de 7 indicam maioir acidez, ao passo que acima disso indicam maior alcalinidade.
Combinação de uma ou mais turbinas a gás e a vapor numa usina de geração elétrica. Tecnologia de geração elétrica na qual a eletricidade é produzida também a partir de calor liberado na saída de uma ou mais turbinas a gás (combustão). Esse calor liberado é conduzido para uma caldeira convencional, ou para um gerador de vapor acionado por recuperação de calor, que fornece o vapor para utilização pela turbina a vapor, na produção de eletricidade. O termo ciclo combinado se refere, assim aos dois ciclos empregados para a geração de energia elétrica. Tal processo aumenta a eficiência da unidade de geração elétrica.
Período de tempo que cobre uma carga de ponta. (EUA)
O intervalo periódico regular usado por uma “concessionária” para ler os medidores de um usuário para fins de cobrança. Geralmente planeja-se ler os medidores mensal ou bi-mensalmente.
Impurezas consistindo em sílica, ferro, alumina e outros materiais não combustíveis contidos no carvão. A cinza aumenta o peso do carvão, aumenta o custo de manuseio e pode afetar suas características de queima. O teor de cinza é medido como um porcentual de peso do carvão, com base tomando por base o “recebido” ou “seco” (sem umidade, geralmente parte de uma análise de laboratório).
Um condutor ou sistema de condutores através dos quais flui corrente elétrica.
Grupo de consumidores com características similares (p.ex. residenciais, comerciais, industriais, etc.), identificados para fins de estabelecer uma taxa de serviço. (EUA)
Designação de grupos de consumidores para enquadramento do fornecimento de energia elétrica realizado a unidades de consumo, classificadas como: Residencial, Industrial, Comercial Serviços e Outras Atividades, Rural, Poder Público fundações de direito público, autarquias, órgãos da União, Estado ou Município, Iluminação Pública, Serviço Público (tração elétrica, água esgoto e saneamento), Consumo Próprio (prédios das concessionárias de serviço público de eletricidade, canteiros de obras, usinas).
A classificação, definida pelo proprietário da instalação, que especifica o nível de carga elétrica (geralmente expresso em megawatts ou outra unidade apropriada) que a instalação pode suportar ou resistir por curtos períodos de tempo.(EUA)
A capacidade inicial de uma peça de equipamento elétrico, como indicada na sua plaqueta. A capacidade efetiva pode variar com relação à nominal devido à idade (Tempo de Serviço) , desgaste, condições de manutenção ou ambientais.(EUA)
Classificações definidas pelo proprietário da instalação e que especificam o nível de carga elétrica (geralmente expresso em megawatts ou outras unidades apropriadas) que uma instalação pode suportar com os ciclos de demanda diários, sem perda de duração do equipamento ou instalação envolvidos. (EUA)
Breves referências a vários tipos de carvão, geralmente fazendo menção à idade do carvão, seu conteúdo de umidade relativa, valor calorífico e dureza.
Antracito
(Anthracite) – Uma forma de carvão freqüentemente chamada de “hulha”, geralmente usado na produção de aço, caracterizado por baixo teor de matéria volátil, enxofre, cinza e baixo índice Hargrove (que indica ser um carvão hulha) e alto valor calorífico, geralmente igual ou superior a 13.500 Btu/libra.
Betuminoso
(Bituminous) – De idade geológica mais antiga do que o carvão sub-betuminoso, com maior valor calorífico, mais matéria volátil e cinza do que aquele. Usado para produção de vapor e também de eletricidade, bem como produção de aço. O carvão metalúrgico geralmente é betuminoso, com índice de inchamento livre maior do que 4,5 e com “divisões de mostrador por minuto” (uma medida da “fluidez”) maior do que 1.500 e às vezes superior a 20.000. O valor calorífico do carvão betuminoso tipicamente varia de 10.000 a 13.
Os limites operacionais de uma instalação ou elemento de um sistema elétrico dentro de um conjunto de condições especificadas. (Vide Classificação Normal e Classificação de Emergência para mais informação. (EUA)
Uma cláusula em um contrato que prevê que a cobrança em um período estipulado não será menos do que uma quantia especificada. (EUA)
Previsão em um esquema tarifário para correção de uma conta de consumidor se o preço das (commodities) mercadorias ou o índice de preços destas variar com relação a um padrão especificado. (EUA)
Uma cláusula em um contrato de compra ou venda que permite correção do preço contratual em condições especificadas.(EUA)
Em contratos futuros, um procedimento de negociação straddle (opção de compra e venda), envolvendo o deslocamento de um mês de um straddle para um mês futuro, ao passo que mantém o mês do spread original do outro contrato.(EUA)
Uma cláusula contratual que estende o contrato para além do prazo inicial, talvez em uma base mês a mês ou ano a ano, até que uma das partes faça o necessário aviso de encerramento. (EUA)
Dispositivo contratual que obriga o comprador a pagar uma certa quantidade mínima de produto, levando ou não o comprador efetivamente aquela quantidade no período estipulado.
Um elemento do método de cobrança com duas partes, usado nas transações energéticas (o outro elemento é a Cobrança de Energia). A Cobrança de Capacidade, às vezes chamada Cobrança de Demanda, é baseada na quantidade de capacidade comprada ou demandada. A Cobrança de Capacidade costuma ser expressa em $/ kW-mês (kilowatt-mês). (EUA)
Um procedimento de cobrança para um conjunto de consumidores a cada dia útil, de forma que todos os consumidores sejam cobrados dentro de um período pré-determinado, como por exemplo um mês, dois meses, etc. (EUA)
A parte de Cobrança de Demanda da tarifa projetada para recuperar os custos associados com o nível de demanda do serviço particular e que será paga mesmo que não haja serviço exigido pelo consumidor; é uma taxa de reserva. Incluem-se na Cobrança de Demanda os custos relativos a capital e custo de operação e manutenção de geração, transmissão e distribuição. (EUA)
Aquela parte da cobrança do serviço elétrico baseada na energia elétrica (kWh) consumida ou cobrada. Cobrança ou Taxa de Commodity. (EUA)
Um meio de recuperar custos além da cobrança aos consumidores pela demanda ou energia elétrica (kWh) consumida. As cobranças são feitas diretamente à parte identificada, talvez independentemente de sua definição como consumidor. A cobrança direta traz um risco relativamente baixo de não recuperação dos custos de um gasoduto. (EUA)