Quarenta anos depois

Enquanto as atenções estão voltadas para a crise hídrica com desenhos de “apagões” localizados a finalização e construção de nucleares ao lado da consolidação do tratado de Itaipu, construção de binacionais com a Bolívia e Argentina, estão na penumbra

Cadastre-se GRATUITAMENTE ou faça seu login para acessar esse conteúdo

Veja as vantagens de ter um cadastro gratuito:

  • Acompanhar até 5 conteúdos fechados por mês
  • Receber nossas newsletters
  • Ficar por dentro dos cursos e eventos do CanalEnergia
Cadastre-se agora mesmo!
CPF já cadastrado. Clique aqui para fazer login ou recuperar sua senha.
Já sou cadastrado, fazer login