ATE II tem multa de R$ 119 mil por blecaute em outubro de 2012

Responsável pela ocorrência, a transmissora teve punição bem mais leve que a multa de R$ 3 milhões aplicada à Chesf

A Agência Nacional de Energia Elétrica manteve multa de R$ 119,8 mil, aplicada à ATE II Transmissora de Energia pelo blecaute que atingiu todos os estados da região Nordeste e cerca de 80% da região Norte em 26 de outubro de 2012. O valor corresponde a 0,0083% do faturamento da Taesa, que assumiu as concessões da ATE II e da ATE III, do grupo Abengoa, em junho de 2013.
 
O problema teve origem na subestação Colinas, em Tocantins, quando falhas na atuação do mecanismo de proteção provocaram curto circuito em equipamentos. Com isso, houve a queda da linha de transmissão Colinas-Ribeiro Gonçalves e a interrupção de 13.945MW de cargas do Sistema Interligado Nacional. 

A mesma ocorrência resultou em multa de R$ 8 milhões para a Chesf, reduzida no mês passado pela Aneel para R$ 3 milhões. A estatal foi punida pela demora em restabelecer a geração das usinas afetadas pelo desligamento, embora o incidente tenha se originado nas instalações da transmissora. A multa da geradora, segundo o relator Tiago Correia, foi consequência de problemas de manutenção em suas instalações.

Apesar da discrepância de valores entre as multas aplicadas à transmissora e à geradora, a Taesa questionou o cálculo feito pela Aneel, por entender que a agência deveria ter usado como critério a receita transmissora, e não de seu controlador.