Parque eólico é aprovado como projeto prioritário no Seridó paraibano

Seis usinas da EDF somam 190,6 MW de potência e R$ 806,6 milhões de investimentos na região; No Piauí mais eólicas da Neoenergia são enquadradas pelo MME, que também aprovou UFV da Voltalia no RN

O parque eólico Serra do Seridó, de posse da EDF Renewables na cidade de Junco do Seridó, Paraíba, foi enquadrado pelo Ministério de Minas e Energia como projeto prioritário e produtor independente de energia pela implementação e exploração de seis centrais eólicas que preveem 190,6 MW entre 62 aerogeradores. As usinas também foram aprovadas junto ao Regime Especial para o Desenvolvimento da Infraestrutura (Reidi). Com a outorga, a companhia pode obter isenção de aproximadamente R$ 71,4 milhões com os encargos PIS/PASEP e Confins, ficando o aporte total em R$ 806,6 milhões. As obras estão previstas para iniciarem em 2023, com a conclusão esperada para dezembro de 2024.

O Ministério também deu provimento à Neoenergia, aprovando mais cinco eólicas do Complexo Oitis, localizado nos municípios de Dom Inocêncio e Casa Nova, ambos no Piauí e somando 242 MW entre 44 unidades geradoras. O projeto, que deve ser finalizado em dezembro de 2022, irá angariar R$ 1,3 bilhão em recursos, já descontados cerca de R$ 134,5 milhões pelo Reidi.

Nos mesmos moldes, a EOL Aura Tanque Novo 01, situada no município de Tanque Novo, Bahia, foi contemplada pela decisão do MME, somando 21,2 MW de capacidade instalada por quatro aerogeradores de 5,3 MW. O empreendimento contará com aporte total de R$ 91,5 milhões para sua execução, com a isenção das taxas representando uma economia de aproximadamente R$ 7,5 milhão. A data de conclusão é dezembro de 2024.

Outra solicitação atendida foi para a multinacional Voltalia, com vistas à construção e exploração da usina fotovoltaica Serra do Mel II, situada no Rio Grande do Norte e prevendo 20 MW de potência entre 20 módulos fotovoltaicos. A UFV contará com R$ 67,6 milhões em investimentos e tem prazo para ser finalizada em dezembro de 2024.

Por fim, o MME aprovou a central eólica Monte Verde VI junto ao Reidi, num aporte planificado em R$ 230,5 milhões sem os encargos. A usina está localizada em Pedro Avelino, no Rio Grande do Norte, e compreenderá onze aerogeradores, somando 46,2 MW de potência e com previsão de início das obras em novembro de 2022 e término para janeiro de 2024.