Renova aprova aumento de capital social

Cemig GT não acompanhou e teve sua participação reduzida em cerca de 2 pontos porcentuais no capital votante

O conselho de administração da Renova aprovou a homologação parcial do aumento de capital social por subscrição privada de ações, dentro do limite do capital autorizado, para efetivar o “2º Processo de Aumento de Capital e Conversão”, nos termos do “Plano de Recuperação Judicial” da Renova Energia S.A. e da Alto Sertão Participações S.A., bem como demais sociedades que integram a Fase A do Projeto Alto Sertão III.

O aumento de capital foi homologado com o valor de R$ 54.763.295,78, representado por 9.337.582 novas ações nominativas e sem valor nominal, sendo 4.666.882 ações ordinárias e 4.670.700 ações preferenciais. Consequentemente o capital social da Renova passa a ser de R$ 3.349.936.049,26, dividido em 109.480.048 ações nominativas e sem valor nominal, sendo 55.521.868 ações ordinárias e 53.958.180 ações preferenciais.

Os credores que se manifestaram durante a “2ª Janela do Pedido de Conversão” tiveram todos os seus créditos capitalizados neste aumento de capital. E em razão desta capitalização, a dívida concursal foi reduzida em R$ 53.855.178,96 (9,8% do saldo da dívida da Classe III), dando prosseguimento à consecução dos meios da recuperação judicial, informou a Renova em comunicado.

Como já previsto, a Cemig GT não fez parte do grupo de credores que solicitaram a conversão dos seus créditos em capital, assim como não acompanhou o referido aumento de capital. Assim teve sua participação diluída de 29,72% para 27,22% no capital votante e de 15,09% para 13,80% no capital total.