Olá, esse é um conteúdo exclusivo destinado aos nossos assinantes
Para continuar tendo acesso a todos os nossos conteúdos, escolha um dos nossos planos e assine!
Redação
de R$ 47,60
R$
21
,90
Mensais
Notícias abertas CanalEnergia
Newsletter Volts
Notícias fechadas CanalEnergia
Podcast CanalEnergia
Reportagens especiais
Artigos de especialistas
+ Acesso a 5 conteúdos exclusivos do plano PROFISSIONAL por mês
Profissional
R$
82
,70
Mensais
Acesso ILIMITADO a todo conteúdo do CANALENERGIA
Jornalismo, serviço e monitoramento de informações para profissionais exigentes!

A EDP Renováveis (EDPR) apresentou um lucro líquido recorrente de € 467 milhões até setembro de 2023, um alta de 12% em relação ao mesmo período em 2022. Já o EBITDA recorrente alcançou os € 1,437 bilhão, 3% menor em comparação com os nove meses do ano passado, com uma boa performance na Europa, América do Sul e Ásia-Pacífico e menor participação da América do Norte.

Segundo a companhia, o desempenho da EDPR foi resultado de um aumento da produção devido a maior capacidade em MW em operação, assim como de ganhos de operações de rotação e ativos fechados na Espanha e na Polônia. No entanto, foi negativamente impactada pelo efeito ambiente não-recorrente, que diminuiu a produção eólica nos Estados Unidos (El Niño), assim como o impacto não recorrente dos clawback na Europa.

Nos primeiros nove meses de 2023, o investimento bruto da EDP alcançou os € 3,4 bilhões, com mais de 80% do CAPEX investido na Europa e América do Norte. Este dado espelha o crescimento da EDPR – a empresa aumentou a sua capacidade instalada em 0.8 GW em comparação com o mesmo período do ano passado, alcançando um portfólio global diversificado em 15.1 GW.

Já a dívida líquida aumentou € 1,1 bilhão, em comparação com o final de 2022, devido a investimentos realizados para acelerar a transição energética nas regiões onde a empresa está presente, o que foi parcialmente compensado pelas receitas do aumento de capital.

Dentro da estratégia de rotação de ativos, foram concluídas duas operações neste período, na Espanha e na Polônia. Foram feitas transações semelhantes no Brasil e Reino Unido nos últimos meses, a última por meio da participação de 50% na Ocean Winds. Estes negócios de rotação de ativos permitem à companhia acelerar a criação de valor, enquanto recicla capital para reinvestir em novo crescimento.

A EDP Renováveis também instalou 669 MW em projetos solares e continuou também a desenvolver projetos eólicos – com 162 MW instalados – e colocou em operação os seus primeiros 16 MW de armazenamento, outra tecnologia que será fundamental para atingir as metas globais de descarbonização. Durante o período, a EDPR atingiu um total de 5,2 GW em construção. A forte atividade de PPA da empresa permitiu-lhe já ter assegurado cerca de 55% da capacidade adicional prevista até 2026.