As projeções dos reservatórios durantes os meses de seca apresentaram melhorias para o Sistema Interligado Nacional (SIN) na última avaliação do Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE) realizada na última segunda-feira, 8 de abril. A decisão de reduzir as vazões nas usinas de Jupiá e Porto Primavera, no rio Paraná, e as chuvas, em maior volume na segunda quinzena de março, trouxeram impactos positivos para as projeções de afluência em abril. Em todo o Brasil, os reservatórios constam com 71% de armazenamento.

A demanda média de março no SIN atingiu 84,1 GW médios, alta de 5,9% em relação ao mesmo período de 2023 e de 1%, quando comparado a fevereiro deste ano. O suprimento foi atendido por 91% de energias renováveis. Já a expansão da geração verificada no mês foi de 924 MW e de 975 MVA de capacidade de transformação. Assim, 2024, totaliza 2.976 MW em ampliação, com 271,4 km de linhas de transmissão e 2.225 MVA.

Segundo o CMSE, as bacias dos rios Jacuí, Uruguai, Grande, Paranaíba e o trecho a montante a UHE Três Marias, no rio São Francisco, apresentaram precipitação superior à média histórica no mês que passou. Nas demais bacias com relevante participação hidrelétrica, a precipitação foi inferior à média histórica. A Energia Natural Afluente (ENA) teve valores abaixo da média histórica nos subsistemas Sudeste/Centro-Oeste (67% da MLT), Nordeste (61% da MLT) e Norte (70% da MLT). O Sul foi o único com condições superiores à média histórica, com 138% da MLT.

Em abril, de acordo com o cenário inferior, a indicação é de uma ENA abaixo da média para todos submercados. Para o SE/CO, Nordeste, Norte e Sul, a previsão é de 67%, 34%, 46% e 98% da MLT, respectivamente. Para o SIN, o estudo aponta condições de afluência de 59% da MLT, sendo o menor valor para abril de um histórico de 94 anos.

No cenário superior, a projeção indica valores de ENA abaixo da média histórica para SE/CO, Nordeste e Norte, com Sul devendo apresentar condições superiores à média. As condições previstas são de cerca de 76% da MLT para o SE/CO, 125% da MLT para o Sul, 61% da MLT para o Nordeste e Norte. Quanto ao SIN a afluência prevista de 73% da MLT, sendo o sexto menor volume do histórico.

No armazenamento, março encerrou com números equivalentes a cerca de 69%, 67%, 73% e 95% nas regiões SE/CO, NE e Norte. Para o último dia de abril, considerando o cenário inferior, a expectativa é de 68,7%, 69,7% e 96,2% respectivamente, com o Sul perfazendo 43,5%. No cenário superior, há uma previsão de 70,7%, 47,0%, 76,7% e 95,5% da EARmáx, considerando a mesma ordem acima. Para o SIN, os resultados para o último dia do mês devem ser de 68,5% da EARmáx, para a simulação inferior, e 72,1% para a superior.