Coelba identifica 17 mil ligações clandestinas no primeiro trimestre do ano

Concessionária realizou 43 mil inspeções no estado com conduções para depoimentos na delegacia. Salvador e Região Metropolitana registraram 4,7 mil irregularidades

A Coelba realizou 43 mil inspeções para combate ao furto de energia durante os três primeiros meses do ano, resultando na autuação e regularização de 17 mil unidades consumidoras. Entre residências e estabelecimentos comerciais. A energia recuperada no período é suficiente para abastecer todo o município de Lauro de Freitas durante 30 dias.

Segundo a companhia, só em Salvador e Região Metropolitana foram quase nove mil inspeções no trimestre, com 4,7 mil irregularidades levantadas. Além das ações regulares de fiscalização, a concessionária realiza operações com o apoio da Secretária de Segurança Pública em todo o estado, além de promover um trabalho de conscientização para a população sobre os riscos e impactos das irregularidades na rede.

Durante as inspeções, o dono de um restaurante no bairro de Piatã, em Salvador, foi detido e conduzido para a delegacia para prestar esclarecimentos, depois que a empresa, com o apoio da Polícia Civil, desligou a unidade que estava com ligação clandestina. Esta foi a 11ª condução por furto de energia nos últimos seis meses.

Além de ser crime e representar riscos de acidentes graves à população, a energia furtada é paga por outros consumidores, através do repasse na tarifa de energia, o que contribui para tornar a conta de luz mais cara para todos. O valor da energia furtada e os custos para identificar e coibir as irregularidades são levados em consideração pela Aneel para estabelecer o quanto a energia custa para cada área de concessão.

Fora o impacto na conta de luz, os furtos e fraudes de energia também impactam na qualidade do serviço prestado: as ligações clandestinas sobrecarregam as redes elétricas, deixando o sistema de distribuição mais suscetível a interrupções no fornecimento.