Andrade Gutierrez utiliza tecnologia BIM na construção de parques solares

Empresa apostou no mercado de energia solar e projeto aproveita tecnologia integrada às rotinas operacionais da companhia

Visando atender o crescente mercado de energia solar no país, a companhia Andrade Gutierrez está utilizando uma tecnologia inovadora, que em conjunto com outras ferramentas atuais, compõe o Sistema AG de Excelência (SAGE), é o BIM (Building Information Modeling, sigla em inglês para Modelagem da Informação da Construção).

Segundo a companhia, a metodologia com o BIM está sendo aplicada, no parque solar que está sendo construído pela companhia no Ceará. O projeto aproveita os benefícios da tecnologia integrada às rotinas operacionais da Andrade Gutierrez, promovendo uma melhor visualização das grandes áreas do parque em um único modelo digital de projeto.

De acordo com a Andrade Gutierrez, a iniciativa de usar o BIM partiu da própria companhia, que teve como principal objetivo manter as informações concentradas e atualizadas no modelo digital, permitindo o acesso ágil e preciso das informações do projeto nas fases de operação e manutenção. Para garantir uma transformação digital ágil e sustentável na rotina da construção, a AG apresenta uma nova Engenharia 4.0 ao mercado, resultado de implementações-piloto de captura de realidade integrada ao BIM, utilizando soluções de startups aceleradas em seu programa de inovação aberta, o Vetor AG. É o caso da Maply e da SGP+AR, que desenvolveram ferramentas para a digitalização e precisão do processo de atualização do avanço físico da obra.

A companhia ressaltou que com a possibilidade de processamento de imagens capturadas por drones na plataforma Maply, é possível gerar mapas de alta resolução e precisão para uso em um dos parques solares da companhia. Para este projeto, uma nova solução foi desenvolvida pela startup. A solução consistiu em importar todos os elementos a serem executados em campo (estacas, eixos, painéis, etc) e, dentro da própria plataforma, com voos recorrentes, realizar o avanço da instalação destes elementos e automatizar o processo de aferição do avanço físico. Estes avanços foram computados na base de dados e, por fim, disponibilizados para a equipe em um painel de monitoramento, com os indicadores integrados aos modelos BIM.