Resort no Mato Grosso investe em autogeração solar

Malai Manso Resort é o primeiro do país a operar 100% com energia solar, na maior instalação do tipo dentro do Estado de Mato Grosso. Projeção econômica é de R$ 322 mil mensais

A Trina Solar finalizou a instalação de 6.616 módulos fotovoltaicos para o parque solar construído pelo Malai Manso Resort Iate Convention & SPA a uma hora de Cuiabá, Mato Grosso. Com o investimento em energia limpa e renovável, e projeção de uma economia de R$ 322 mil mensais, o empreendimento se torna o 1º resort do Brasil a operar 100% com energia solar própria, além de ser também a maior instalação fotovoltaica no Estado de Mato Grosso.

Do total de painéis instalados, 3.016 módulos vieram da fabricante e serão responsáveis por gerar 165 mil KWh/mês do total de 350 mil KWh/mês. O modelo Tallmax Policristalino TSM-PD14 330W, com 72 células e eficiência solar de 17% faz parte da família Tallmax da Trina Solar que permite que projetos solares comerciais e de concessionárias de energia elétrica tenham economias significativas.

Para o diretor-geral para a América Latina e Região do Caribe, Álvaro García-Maltrás, a multinacional fornece soluções em energia fotovoltaica em mais de 107 países, marcando presença local em 40 dessas nações, incluindo o Brasil. “Até agora já foram enviados 40 GW em módulos fotovoltaicos no mundo todo e somos detentores de 1.500 patentes em tecnologia, o que mostra a inovação constante da empresa, além de contarmos com mais de 15 mil colaboradores na Trina Solar”, comentou o executivo, que se mostrou gratificado com a parceria.

“Para nós, é muito gratificante a parceria da Trina Solar com o Malai Manso Resort e a Oeste Solar, pois as três empresas se preocupam em promover o desenvolvimento sustentável tanto em nível global quanto no Brasil, popularizando o uso da energia renovável e promovendo a indústria fotovoltaica”, completou.

O parque solar foi construído em uma área de oito hectares, através de um investimento de R$ 8,3 milhões,  e previsão de retorno em 2,5 anos. O projeto de engenharia utilizou o sistema de tracker, que potencializa a produção energética em 25% e foi realizado pela Oeste Solar Energia Renovável, que trabalha com empreendimentos comerciais e do agronegócio no Centro-Oeste brasileiro, além de oferecer serviços de assessoria em finanças, legislação, software e automação.