UTEs passarão por um segundo nível de fiscalização em 2020

Grupo inclui 11 usinas com problemas de desempenho apontados em monitoramento da Aneel

A Agência Nacional de Energia Elétrica selecionou 11 das 77 usinas termelétricas monitoradas entre novembro de 2018 e outubro de 2019 para o segundo nível de fiscalização, que será realizado em 2020. O resultado do monitoramento do desempenho das térmicas com despacho centralizado pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico está em nota técnica disponível no site da Aneel.

O critério para seleção dos empreendimentos foi a avaliação da operação da usina como insatisfatória (classificação vermelha) ou no nível de alerta ( classificação laranja). Os empreendimentos constantes da lista são as UTEs Jaraqui, Palmeira de Goiás, Daia, Arempebe, Pernambuco III, Enguia PI, Enguia CE, Maracanaú I, Barbosa Lima Sobrinho, Governador Leonel Brizola e Termoceará.

A potência instalada desse grupo de usinas soma 2.620 MW. Elas passarão este ano por um ação fiscalizatória à distância mais específica. Das usinas selecionadas, sete estão com ações em andamento e quatro a serem iniciadas. A agência reguladora pode realizar ainda inspeção presencial da instalação, se julgar necessário.

O cronograma estabelecido pela Aneel prevê que as ações devem ser finalizadas entre entre meados de abril e meados de maio. O relatório com os resultados finais da campanha deve ser divulgado em outubro.

Inicialmente, foram escolhidas 22 térmicas para a próxima etapa de fiscalização, mas a Aneel aplicou novos critérios de seleção que excluíram usinas com ações específicas já realizadas, usinas em alerta de até 60 MW e “falso-positivos”, que é quando o empreendimento é selecionado pelo monitoramento, mas tem especificidades que o excluem do critério de seleção.

É o caso da UTE Figueira (20 MW), que está desligada e em processo de modernização, o que justifica o desempenho ruim apontado no acompanhamento. Outro exemplo é o da UTE Cuiabá (529 MW), que também foi retirada da lista por  não ter obrigação comercial, em razão da ausência de contrato firme de combustível. De acordo com a nota técnica da Aneel, a usina tem apresentado bom desempenho quando despachada.

No total, 41 usinas monitoradas tiveram classificação verde; 24, laranja, e 12 vermelhas, considerando, entre as que tiveram mau desempenho, os chamados falso positivos. Foram escolhidas para o monitoramento termelétricas a gás natural, a carvão mineral, a óleo diesel, a óleo combustível e a biomassa.