Olá, esse é um conteúdo exclusivo destinado aos nossos assinantes
Para continuar tendo acesso a todos os nossos conteúdos, escolha um dos nossos planos e assine!
Redação
de R$ 47,60
R$
21
,90
Mensais
Notícias abertas CanalEnergia
Newsletter Volts
Notícias fechadas CanalEnergia
Podcast CanalEnergia
Reportagens especiais
Artigos de especialistas
+ Acesso a 5 conteúdos exclusivos do plano PROFISSIONAL por mês
Profissional
R$
82
,70
Mensais
Acesso ILIMITADO a todo conteúdo do CANALENERGIA
Jornalismo, serviço e monitoramento de informações para profissionais exigentes!

A operação de exportação de energia do Nordeste para o Sudeste/Centro-Oeste, que está ocorrendo de forma mais conservadora desde a ocorrência de 15 de agosto poderá começar a mudar a partir do dia 25 deste mês. Inicialmente, essa retomada deverá ser limitada até que as medidas de saneamento das causas do desligamento de 22 GW estejam sanadas, sejam elas por conta de equipamentos e operação.

A redução do escoamento está na ordem de 50% do que era enviado antes da ocorrência. Segundo o diretor geral do Operador Nacional do Sistema Elétrico, Luiz Carlos Ciocchi, lembrou que eram enviados em média, de 12 GW a 15 GW entre os submercados, mais notadamente das fontes solar e eólica. Agora está entre 6 GW e 8 GW.

“Acreditamos que a partir do dia 25, com a minuta do RAP e dados consolidados e base de dados provisória com os dados de reguladores de tensão começaremos a melhorar o fluxo que voltará ao normal depois da aplicação das medidas de correção. São muitos agentes e reguladores de tensão e isso pode demorar um pouco até voltar ao normal”, disse ele a jornalistas após participar do VII Fórum Cogen, em São Paulo, nesta quarta-feira, 20 de setembro.

Ciocchi comentou ainda que conversou com as duas principais associações de geradores que estão afetados com essa operação mais conservadora. Ele afirmou que entende a preocupação dos agentes, pois isso representa perda de receita e que o compromisso do Operador é de retomada do uso dessa energia o mais rápido possível.

Essa limitação de intercâmbio, disse ele, não tem afetado o atendimento do SE/CO nesses dias de temperatura elevada porque a geração solar tem ajudado a mitigar ao atender a carga no próprio submercado. São recordes localizados e que são complementados pelo aumento da geração hídrica para compensar as limitações atuais.

O ONS começa a considerar apenas para o final de outubro e início de novembro alguma eventual necessidade de complementação térmica para atendimento à ponta. Mas, disse o executivo, pode ser que nem seja necessário, depende de avaliações semanais que são feitas pelo operador.

Desligamento localizado

Enquanto Ciocchi participava desse encontro promovido pela Cogen um evento em subestação da Cteep a poucos quilômetros de distância derrubou uma parte da carga na cidade de São Paulo, alcançando alguns bairros da capital.

O executivo apontou que este foi um evento localizado e classificado como trivial, pois em menos de 30 minutos havia sido corrigido.

“Mas em vista do dia 15 de agosto, é natural que quando ocorre qualquer falha de energia alguém fica preocupado. O sistema está em funcionamento normal, com 100% de atendimento não há situação de anormalidade”.