Aneel autoriza desvio da LT Tucurui-Altamira para obra de subestação de Belo Monte

Antecipação da obra resultará em aumento da receita da ATE XXI

A ATE XXI Transmissora de Energia foi autorizada a executar o remanejamento da linha de transmissão Tucuruí – Altamira, para desobstrução de área destinada a implantação da subestação Xingu. A obra de reforço tem previsão de conclusão em cinco meses, até 31 de outubro desse ano, mas a transmissora receberá um valor adicional de receita caso antecipe o cronograma, para evitar eventuais impactos na entrada em operação comercial das instalações que vão escoar energia da hidrelétrica de Belo Monte.

Se a antecipação for feita até 31 de julho, o valor da Receita Anual Permitida passará de R$ 321,7 mil para R$ 394,5 mil. Se for concluída até 31 de agosto, a RAP será de R$ 354,3 mil; e se for entregue até 31 de setembro, de R$ 333,9 mil. O investimento reconhecido pela Aneel para a entrega do desvio em julho é de R$ 3,2 milhões, valor que será reduzido para R$ 2,6 milhões para entrega no prazo normal em outubro. A ATE alegou que precisa de nove meses para construir os dois quilômetros de linha, apesar do prazo informado anteriormente, e calculou o investimento em R$ 18 milhões, o que irritou a diretoria da Aneel durante a votação do processo.

A subestação Xingu, que será instalada pela ATE XXI, ficará localizada em área onde passa a linha de 230 kV da Eletronorte. A obra de reforço autorizada para a transmissora do grupo Abengoa consiste na construção de um tramo de linha de transmissão, em circuito simples, que fará um desvio temporário da LT Tucuruí -Altamira, com posterior desmontagem do trecho após a construção da subestação.

A previsão da Belo Monte Transmissora de Energia, responsavel pela instalação do linhão da usina, é de que a licença de instalação para a expansão da subestação Xingu seja emitida até 31 de julho de 2015. Com a licença, seria possível iniciar as obras de implantação da instalação, que deverá ser concluída em agosto do ano que vem.