Emae habilita duas empresas para solar flutuante na Billings

GreenYellow e KWP Energia foram as selecionadas em processo que contou com a participação de cinco empresas

A Emae habilitou duas empresas para implantação de usinas fotovoltaicas flutuantes no reservatório Billings, na capital paulista: GreenYellow e KWP Energia. A chamada pública foi aberta em outubro do ano passado e os interessados tiveram um prazo de 45 dias para envio de documentos técnicos, financeiros, de conformidade e ambientais previstos no edital. Cinco empresas participaram do processo.

As propostas apresentadas pelos interessados envolvem, por exemplo, plantas de geração com potência que variam entre 1 MWp e 30 MWp em quatro locais na Billings. A energia gerada pelo projeto deverá ser disponibilizada para o consumidor. De acordo com o secretário de Infraestrutura e Meio Ambiente, Marcos Penido, foi montada uma planta piloto no lago da represa e o teste comprovou a viabilidade do projeto. Segundo ele, com essa chamada, o governo paulista dá mais um importante exemplo na utilização das energias renováveis, além de gerar emprego e renda para a população.

O presidente da Emae, Marcio Rea, promete a continuidade do incentivo ao desenvolvimento de fontes alternativas e sustentáveis na geração de energia elétrica, sempre pensando nas principais tendências mundiais do mercado. A próxima etapa do projeto deverá ser feita com assessoria da Fundação Getúlio Vargas para fazer a modelagem econômico-financeira e societária da implantação dos empreendimentos.