CMSE autoriza aumento de geração hidrelétrica para garantir abastecimento

Em reunião do comitê também foi apresentada proposta de incentivo à redução do consumo por consumidores regulados

O Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico autorizou o aumento do despacho de usinas hidrelétricas para garantir o abastecimento de energia ao Sistema Interligado. Em nota, afirmou que há uma piora relevante da situação hídrica no país. Em reunião extraordinária na última terça-feira, 24 de agosto, o CMSE aprovou flexibilizações temporárias da regra de operação do rio São Francisco para garantir mais geração e reduzir a degradação do armazenamento dos reservatórios das usinas do Sudeste e Sul do país.

Durante a reunião também foi feita uma apresentação de proposta de lançamento de um Programa de Incentivo à Redução Voluntária do consumo de energia elétrica para consumidores regulados. A proposta é que seja dado um incentivo econômico a esses consumidores, por meio de um bônus pela economia de energia.

A medida é semelhante à adotada no racionamento de 2001, quando foi estabelecida uma meta de economia de 20% e os consumidores recebiam descontos na conta de luz. Ela representa um passo além do que já foi dado até agora no gerenciamento da crise e complementa o programa de redução voluntária voltado para grandes consumidores de energia, cujas diretrizes foram publicadas pelo governo no início da semana.

Em nota sobre a reunião de ontem, o Ministério de Minas e Energia informou que foram discutidos aspectos das flexibilizações operativas já implantadas relacionados a níveis mínimos de armazenamento das UHEs, com a indicação pelo CMSE da necessidade de uso dos estoques hídricos armazenados.

O colegiado reconheceu que “predomina a degradação dos cenários observados e prospecções futuras, com relevante piora, fazendo-se imprescindível a adoção de todas as medidas em andamento e propostas, destacadamente a alocação dos recursos energéticos adicionais e flexibilizações de restrições hidráulicas.”

O uso do estoque hídrico armazenado será avaliado pela Câmara de Regras Excepcionais para Gestão Hidroenergética, que vai se reunir hoje, a partir das 14h. A Creg também vai analisar a proposta de redução do consumo para consumidores das distribuidoras.