Ceará estuda fundo para microgeração e eficiência energética

Projeto está em tramitação no governo e a expectativa é que comece a ser implementado em 2017

O governo do Estado do Ceará estuda a criação de um fundo de investimento para incentivar o desenvolvimento de projetos de microgeração de energia elétrica e eficiência energética. A expectativa inicial é que o fundo conte com R$ 8 milhões por ano, podendo chegar a R$ 20 milhões.

Segundo o secretário adjunto de Energia, Mineração e Telecomunicações do Estado do Ceará, Renato Rolin Ribeiro, a ideia inicial é implantar um programa de eficiência enérgica para reduzir os gastos com energia elétrica em prédios públicos da administração estadual. Dessa forma, parte do valor economizado seria destinado para lastrear esse fundo.

O primeiro passo é desenvolver um sistema de acompanhamento das contas de energia dos edifícios da administração estadual. Com posse desses dados, desenvolver um programa de eficiência para reduzir os custos em 10%, num primeiro momento, mas com a meta de chegar a 25%. Segundo Ribeiro, o estado gasta anualmente R$ 80 milhões com energia elétrica.

“A ideia é que a gente possa ter ideias inteligentes dentro da administração pública estadual, para que a gente arranje recursos para desenvolvermos projetos mediante as economias obtidas”, disse Ribeiro à Agência CanalEnergia nesta terça-feira, 3 de maio, durante participação do Congresso Brasileiro de Energia Solar, realizado em São Paulo.

"Eu posso colocar placas solares em escolas para que aquela energia que a escola vai consumir fique mais barata, o que vai fazer com que a conta do estado também seja reduzida", exemplificou o representante do governo, que também é presidente da região Nordeste do Fórum Nacional de Secretários de Estatuais para Assuntos de Energia e Mineração. O projeto está em tramitação no governo e a expectativa é que comece a ser implementado em 2017.