UTE Onça Pintada vai gerar mais de mil empregos no MS

Térmica movida a cavaco viabilizada no A-5 é primeira investida da Eldorado Brasil no setor

A UTE Onça Pintada (50 MW), viabilizada no leilão A-5 realizado na última sexta-feira, 29 de abril, deve gerar mais de mil empregos diretos e indiretos na região de Aparecida do Taboado (MS), aonde ela vai ser construída. O projeto, que vai consumir R$ 300 milhões em investimentos, vai aproveitar tocos e raízes de eucalipto, não utilizados na operação de colheita, para geração de energia a partir de biomassa. A usina pertence a Eldorado Brasil, que é controlada pelo Grupo J&F, com presença no mercado global de celulose branqueada de eucalipto.

De acordo com José Carlos Grubisich, presidente da Eldorado Brasil, o investimento está alinhado aos pilares estratégicos da companhia de inovação, competitividade e sustentabilidade e permite maior eficiência no aproveitamento de base florestal da empresa. É o primeiro projeto de 50 MW a partir de biomassa da empresa e a partir das suas próprias florestas tem potencial para garantir biomassa a seis térmicas do mesmo porte, fornecendo mais de 300 MW de energia para o sistema, o que segundo o executivo poderá gerar uma receita adicional de mais de R$ 600 milhões.

Um projeto-piloto de utilização da biomassa extraídas dos tocos e raízes de eucalipto das florestas da Eldorado foi realizado durante quatro meses ao longo de 2015. Os cavacos de madeira, de elevado poder calorífico – superior ao da cana, por exemplo–, foram processados em térmicas da região de Três Lagoas, evidenciado a viabilidade da biomassa da companhia para geração de energia.