Light opta pela não adesão à repactuação do risco hidrológico no ACL

Decisão envolve seis hidrelétricas e levou em consideração vários cenários de PLD e as obrigações regulatórias

A Light enviou comunicado ao mercado nesta sexta-feira, 15 de janeiro, informando que decidiu não aderir à proposta de repactuação do risco hidrológico no Ambiente de Contratação Livre. Segundo a empresa, a decisão se baseou na avaliação dos vários cenários de PLD conjugados com as obrigações e os direitos definidos na Resolução Normativa 684/2015. A empresa contou também com uma consultoria externa especializada para subsidiar a avaliação do modelo econômico financeiro desenvolvido para este fim.

A decisão envolve as hidrelétricas controladas pela Light Energia e a Lightger. Na primeira, são cinco empreendimentos: Fontes Nova (132 MW), Nilo Peçanha (380 MW), Pereira Passo (100 MW), Ilha dos Pombos (187 MW) e Santa Branca (56 MW). A Lightger é responsável pela PCH Paracambi (25 MW) e é controlada pela Light (51%) e Cemig GT (49%).