Carga nacional de energia registra decréscimo de 2,3% em julho

Comportamento segue impactado pelo baixo desempenho da indústria e pelo aumento de tarifas

A carga nacional de energia em julho ficou em 60.083 MW médios, decréscimo de 2,3% em relação aos valores verificados no mesmo mês do ano anterior. No acumulado dos últimos 12 meses, a carga registrou variação positiva de 0,2% na comparação com o mesmo período do ano anterior. O balanço sobre a evolução da carga foi divulgado nesta quinta-feira, 7 de agosto, pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico.

Assim como em boletins anteriores, a explicação para o comportamento negativo da carga reflete sobretudo o baixo desempenho da indústria, redução de atividade dos setores de comércio e serviços. Adicionalmente, a elevação das tarifas de energia elétrica decorrente das bandeiras tarifárias, da revisão tarifária extraordinária e do reajuste tarifário anual, vem se refletindo nos padrões de consumo de energia, contribuindo para a redução da carga, principalmente nos subsistemas Sudeste/Centro-Oeste e Sul onde o impacto dos aumentos tarifários tem sido maior.

O ONS lembra que neste mesmo período em 2014 a carga foi influenciada negativamente pela redução de jornada de trabalho em função dos jogos da Copa do Mundo. Mesmo assim, em julho de 2015 a carga dos subsistemas Sudeste/Centro-Oeste e Sul registrou valores inferiores aos do mesmo mês do ano passado.

A carga no subsistema SE/CO em julho registrou 34.798 MW médios, decréscimo de 4% em relação aos valores verificados no mesmo mês do ano anterior. No Sul, com 10.443 MW médios, a variação ficou negativa de 1,8%, enquanto Nordeste e Norte registraram, respectivamente, 9.744 MW médios (- 1,4%) e 5.098 MW médios (-1%).