Liquidação do MCP registra inadimplência de 48% em junho

Do valor não pago, 29,81% estão cobertos por liminares contra o GSF

A liquidação financeira do mercado de curto prazo de energia registrou 47,28% de inadimplência em junho, informou a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica nesta quinta-feira, 6 de agosto.  Segundo a CCEE, foi contabilizado R$ 2,99 bilhões, sendo que apenas R$ 1,57 bilhão foi liquidado. Do valor não pago, R$ 891,9 milhões (29,81%) estão cobertos por liminares. As decisões judiciais protegem os geradores de energia da aplicação do mecanismo de ajuste de energia. Descontados os valores amparados por liminares, a inadimplência real foi 17,47%, ou R$ 522,6 milhões. A operação envolveu 2.711 agentes, sendo 1.294 credores e 1.417 devedores.
 
A liquidação financeira do MCP, realizada mensalmente, representa o acerto entre eventuais diferenças entre a energia medida e a contratada pelos agentes que operam no âmbito da CCEE. Os débitos e créditos, apurados pelo processo de contabilização, são valorados ao Preço de Liquidação das Diferenças, calculado semanalmente. Após a liquidação, o agente inadimplente pode ter iniciado processo de desligamento junto à CCEE, uma vez que as regras de comercialização preveem punições por descumprimento de obrigações como forma de proteção ao bom funcionamento do mercado.

O Ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, articula um acordo entre os agentes que envolve uma solução para o GSF e a retirada das ações judiciais.