Transmissão atrasa operação do complexo eólico Alto Sertão III

Renova informou que está tomando as providências necessárias para minimizar os impactos desse descompasso

Algumas usinas do complexo eólico Alto Sertão III, na Bahia, não poderão entrar em operação em setembro de 2015, conforme o cronograma previsto. Isso porque a linha de transmissão responsável pelo escoamento da energia está atrasada, com previsão de operação apenas em 30 de setembro. O diretor de Relações com Investidores e Novos Negócios da Renova, Pedro Pileggi, explicou que o descasamento do calendário deve impor um prejuízo muito maior do que 30 dias para a geradora, isso porque os projetos precisarão passar pela fase de comissionamento.

Segundo o executivo, a Renova está tomando as providências possíveis para minimizar os impactos desse descasamento. No total, são afetados 392,1 MW de capacidade instalada. Uma parte desses contratos tiveram o início de suprimento renegociado para janeiro de 2016. Outra parte a companhia terá que comprar energia para fazer frente aos compromissos contratuais.  "Mais uma vez a linha de transmissão causando impactos na Renova e no setor", desabafou Pileggi durante apresentação dos resultados do segundo trimestre da companhia, realizada nesta quarta-feira, 5 de agosto.

Como os preços no mercado livre estão em queda, abaixo de R$ 200/MWh, a empresa acredita que não terá um impacto muito relevante com a compra de energia no mercado à vista. Para além dos prejuízos financeiros causados aos empresários, os atrasos comprometem o planejamento do governo e reduz a oferta de energia limpa e barata para o sistema.