Energia renovável já emprega 7,7 milhões de pessoas no mundo, segundo Irena

Número de trabalhadores em 2014 é 18% maior que no ano anterior. China e Brasil são destaques

A Agência Internacional de Energia Renovável (Irena, na sigla em inglês) divulgou esta semana seu relatório anual de empregos, mostrando que o número de trabalhadores envolvidos com a energia renovável cresceu 18% no ano passado, chegando a 7,7 milhões de pessoas, direta e indiretamente, em relação a 2013. China, Brasil e Estados Unidos se destacam como principais mercados de trabalho no mundo. Os números excluem o das grandes hidrelétricas, que envolvem mais 1,5 milhão em empregos diretos.

A cadeia de energia solar fotovoltaica se consolidou como a maior empregadora com 2,5 milhões de pessoas envolvidas. Ela é seguida por biocombustíveis líquidos, com 1,8 milhão trabalhadores, e energia eólica, que cruzou a marca de 1 milhão. " A energia renovável continua se firmando como um grande empregador, gerando fortes benefícios econômicos e sociais em todo mundo", disse Adnan Amin, diretor-geral da Irena.

Somente na China, são 3,4 milhões de empregados. O país é líder mundial em emprego nas indústrias solar fotovoltaica, aquecimento solar, hidreletricidade, biomassa e biogás. O Brasil se destaca como o maior empregador na indústria de biocombustíveis líquidos, com 845 mil empregados. A indústria eólica nacional viu o número de trabalhadores crescer 12% para 35,8 mil pessoas. No total, o país tem 934 mil pessoas empregas na cadeia renovável, segundo a Irena. Para acessar o estudo, em inglês, clique aqui.