Altino Ventura indica que poderá deixar MME

Decisão ainda não está tomada e dependeria de aval de ministro Braga. Secretário considera ter dado contribuição para pasta e quer mais tempo para família

Após a saída de Marcio Zimmermann da secretaria-executiva do Ministério de Minas e Energia para a presidência da Eletrosul, mais mudanças devem ocorrer na pasta comandada por Eduardo Braga. Altino Ventura, secretário de Desenvolvimento e Planejamento, também indica que poderá deixar o MME. Já há dez anos no Ministério, ele classifica a decisão como pessoal e que vem amadurecendo a ideia desde o ano passado, querendo se dedicar a projetos pessoais e à família. "Já dei minha contribuição, a renovação é uma coisa importante, mas a decisão ainda não está tomada", explica Ventura, que participou nesta segunda-feira, 18 de maio, da segunda edição do Fórum de Geração Termelétrica, no Rio de Janeiro  (RJ).

O secretário conta que caso decida pela eventual saída, ela deverá ser acertada com o ministro Braga. De acordo com ele, ainda há trabalhos a serem concluídos, como portarias sobre garantias físicas e estudos sobre qualidade do serviço de energia elétrica e o planejamento até 2050. Ventura expõe como possibilidade desenvolver algum projeto de consultoria no setor. Ele não coloca no seu possível destino alguma estatal do Grupo Eletrobrás. O nome de Luiz Eduardo Barata foi confirmado por Ventura paara ocupar a secretaria-executiva da pasta, no lugar de Marcio Zimmermann. 

Ele também pretende desenvolver algum tipo de trabalho com jovens engenheiros, de modo que consiga transmitir a experiência adquirida em quase cinco décadas de atuação no setor elétrico, sempre na área de planejamento. A integração energética sulamericana, fundamentos técnicos da termeletricidade no país e eficiência energética são alguns dos temas que ele sugere. "Seria uma oportunidade boa para mim", avisa.

Ainda segundo Ventura, o processo de licenciamento da usina de São Luís do Tapajós continua, estando agora a cargo do órgão ambiental a emissão da licença prévia. A usina deve ser leiloada este ano e tem potencial de mais de 8 mil megawatts. Ele também espera que o mercado responda satisfatoriamente ao leilão de reserva que será realizado em junho. Para ele, como é um leilão dierenciado devido as suas particularidades, questionamentos sobrea sua eficácia são normais."É natural que haja incompreensões", observa.