Sócios em complexo solar no CE podem expandir capacidade do projeto

Uma das alternativas é ampliar a capacidade instalada da planta em Quixadá por meio dos Leilões de Energia A-4 e A-6

A empresa brasileira Apodi Participações quer estreitar ainda mais a possibilidade de novos projetos junto às norueguesas Scatec Solar e Statoil, após a parceria firmada entre as três companhias para a construção do Complexo de Energia Solar Apodi, localizado na cidade de Quixeré (CE). De acordo com Rodrigo Mello, diretor da Apodi Participações, uma das alternativas ampliar a capacidade instalada da planta, 162 MW, por meio dos Leilões de Energia A-4 e A-6, programados para ocorrer no final deste ano. O executivo destacou a relevância do acordo com a Scatec Solar e com a Statoil.

“São duas grandes corporações no mercado global de energia. O complexo, em Quixeré, é o primeiro negócio da Scatec no Brasil. Para nós, tê-los como sócios só mostra a solidez e a relevância do nosso projeto, além da possibilidade cada vez mais concreta de construirmos novas parcerias”, avaliou. A planta solar contou com financiamento de R$ 477,4 milhões do Banco do Nordeste, via Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE). O montante representa cerca de 65% do custo total do empreendimento, com o restante sendo bancado pelos três sócios sócios.

A expectativa é que a usina entre em operação até novembro do ano que vem. A Apodi Participações é composta pela pernambucana Kroma Energia; pela paraibana Êxito Importadora e Exportadora S/A; e pela goiana RP Participações, ligada ao grupo Total Energia. Juntas, as três empresas detêm 12,5% do negócio, enquanto as multinacionais respondem por 87,5%. No começo do mês, a Statoil assinou acordo para adquirir 40% da participação da Scatec Solar no Complexo de Apodi, além de ter 50% de participação na empresa de engenharia que irá executar o projeto.