Previsões indicam chuvas abaixo da média até dezembro no SE/CO

Anomalia climática vai afetar a recuperação do nível de armazenamento de bacias estratégicas para o Sistema Interligado

As previsões climáticas para as próximas semanas apontam para uma maior probabilidade de ocorrência de chuvas abaixo das médias históricas nas regiões Sudeste e Centro-Oeste, onde estão localizadas as quatro bacias hidrográficas  consideradas estratégicas para o Sistema Interligado Nacional. Juntos, os reservatórios das bacias dos rios São Francisco, Tocantins, Paranaíba e Grande representam 80% de toda a capacidade de regularização do parque hidrelétrico brasileiro, segundo dados oficiais.

A anomalia identificada pela análise meteorológica deve permanecer  até dezembro desse ano, segundo nota divulgada pelo Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico. O ano de 2017 é o pior de todo o histórico iniciado em 1931 em termos de Energia Natural Afluente, com 45% da Média de Longo Termo na região central do país. A ENA é o volume de água que chega aos reservatórios.

Setembro também foi o pior mês do histórico nas principais bacias de interesse para  geração hidrelétrica.  Segundo o Operador Nacional do Sistema Elétrico, no São Francisco a ENA ficou em 27% da MLT, a pior do histórico; no Tocantins, em 55% da média, o quarto pior resultado dos últimos 86 anos; no Paranaíba, em 48% da MLT, segundo pior registro até agora; e, no Grande, em 51% da MLT , o quarto pior do histórico.

Após mais uma reunião extraordinária de avaliação do cenário nesta quarta-feira, 25 de outubro, o CMSE reiterou as conclusões anunciadas no encontro da semana passada. Uma delas é de que “a transição para o período úmido permanece atrasada em relação ao histórico.”

Há também  perspectiva de que o consumo de energia no sistema interligado fique um pouco acima do previsto até final do ano em razão do aumento das temperaturas, principalmente nas regiões Sudeste e Centro-Oeste.