Renova amplia prejuízo no terceiro trimestre para R$ 239 milhões

Receita operacional cresceu 43,3% no período. Ebitda ficou negativo em R$ 103,9 milhões

A Renova Energia registrou prejuízo de R$ 239 milhões no terceiro trimestre de 2017. O resultado negativo está bem a acima do mesmo período de 2016, quando o prejuízo da Renova ficou em R$ 86,3 milhões. A receita operacional líquida da empresa no trimestre teve crescimento de R$ 43,3%, saltando de R$ 132 milhões para R$ 189,2 milhões. Já o Ebitda da Renova ficou negativo em R$ 103,9 milhões, em contraponto ao do mesmo período de 2016, quando teve Ebitda de R$ 18,4 milhões.

Em nove meses, o prejuízo da Renova é de R$ 200,5 milhões, menor que o de R$ 600 milhões alcançado no mesmo período de 2016. A receita líquida até setembro é de R$ 526,4 milhões, o que mostrou aumento de R$ 49,4% na comparação com o mesmo período do ano passado. O Ebitda ficou em R$ 100,2 milhões, melhor que o negativo em R$ 373,2 milhões conseguidos até setembro de 2016.

De acordo com a empresa, ao fim do primeiro trimestre deste ano ela tinha uma dívida bruta de R$ 812,9 milhões e um passivo com fornecedores de R$ 555,6 milhões. Com as operações de vendas de participações na Terraform Global e no Complexo eólico Alto Sertão II, houve uma redução no fim do terceiro trimestre da dívida bruta da holding para R$ 306,6 milhões e do passivo consolidado com fornecedores para R$ 333,2 milhões. Ainda segundo a Renova, a empresa tem baseado sua recuperação estrutural na adequação da estrutura de capital, na revisão do plano de negócios e na restruturação de processos internos e equipes.